SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE

CNPJ/MF nº 60.517.984/0001-04
Fundação: 25 de janeiro de 1930
Apelidos: O Mais Querido, Clube da Fé, SPFC, Tricolor Paulista.
Esquadrão de Aço (30-35), Tigres da Floresta (30-35), Rolo Compressor (38-39, 43-49), Tricolor do Canindé (44-56), Rei da Brasilidade (50-60), Tricolor do Morumbi (60-), Máquina Tricolor (80/81), Tricolaço (80/81), Menudos do Morumbi (85-89), Máquina Mortífera (92/93), Expressinho Tricolor (94), Time de Guerreiros (2005), Soberano (2008), Jason (08-09).
Mascote: São Paulo, o santo.
Lema: Pro São Paulo FC Fiant Eximia (Em prol do São Paulo FC façam o melhor).
Endereço: Pr. Roberto Gomes Pedrosa, 1. Morumbi; São Paulo - SP. CEP: 05653-070.
Site Oficial: www.saopaulofc.net
E-mail: site@saopaulofc.net
Telefone: (55-0xx11) 3749-8000. Fax: 3742-7272.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Sobre o Morumbi 2014

Preciso guardar isso:

Nota Oficial

Manifestação do São Paulo Futebol Clube em relação ao Comunicado da FIFA/LOC publicado no site da CBF

SPFC - 16/6/2010

O Estádio Cícero Pompeu de Toledo ("Estádio do Morumbi") foi indicado pelo Governo e pela Prefeitura de São Paulo para ser a sede da Cidade na Copa do Mundo de 2014 por ser o grande palco dos maiores eventos esportivos e culturais realizados neste que é o maior Estado da Nação.

Sendo, ainda, um Estádio pertencente a um Clube esportivo e social, e que, por isso, atende à anteriormente propalada prioridade para investimentos privados na construção e reforma de arenas, conforme se anunciou quando da escolha do Brasil para sediar a Copa do Mundo de 2014.

Um Estádio utilizado em mais de cinqüenta eventos por ano e localizado num ponto da Cidade de São Paulo com significativa oferta de transporte, especialmente considerando a chegada do Metrô prevista para 2012, rede hoteleira, hospitais, centros de comércio, cultura e serviços em geral, além da proximidade com o Aeroporto de Congonhas.

A decisão tomada pela FIFA/LOC surpreendeu a todos porque, inusitadamente, foi anunciada no momento em que as atenções da comunidade esportiva estão voltadas para a Copa do Mundo de 2010, como se numa tentativa de se esconder o ato sob a sombra dos holofotes focados no maior evento esportivo do Planeta. E, também, porque se deu de forma absolutamente arbitrária, num momento em que o São Paulo tinha acabado de apresentar um projeto de reforma do Estádio do Morumbi absolutamente aderente às exigências da FIFA, suportado por um Plano de Viabilidade Financeira ratificado pelo Comitê Paulista e apoiado em seguras garantias oferecidas pela iniciativa privada.

Vale lembrar que os investimentos públicos programados para serem implementados no entorno do Estádio do Morumbi se reverteriam em legado em favor da População, na região na qual está instalado o São Paulo FC, um Clube constituído sob a forma de associação e que, portanto, não tem o objetivo de gerar lucro em favor de particulares, tendo suas receitas reinvestidas para o fomento das suas atividades esportivas e sociais.

Completamente diferente seria a hipótese na qual o Poder Público viesse a realizar investimentos voltados a prover infraestrutura com a finalidade de agregar valor a uma arena administrada como um "negócio", gerenciado com a finalidade principal de gerar lucro em favor de "empreendedores" particulares.

Nesse momento, cabe ao São Paulo reafirmar que o Estádio do Morumbi continuará a ser modernizado, com os investimentos oriundos de contratos já celebrados com a iniciativa privada, com empresas cujo interesse em expor suas marcas no Estádio do Morumbi nunca esteve condicionada à realização da Copa do Mundo. Até porque, durante a competição, a exposição de marcas fica bastante limitada.

Os esportistas e a população de São Paulo e do Brasil podem ficar seguros de que continuarão a ter no Estádio do Morumbi o palco dos maiores eventos esportivos e dos grandes shows.

É o momento de confirmar, também, que o São Paulo não vai mudar em nada sua postura de absoluta independência em relação às demais entidades esportivas e governamentais com quem se relaciona. Nesse ponto, não há possibilidade de transigir, por uma questão de respeito para com o seu torcedor, para com as próprias entidades e para com o Desporto Brasileiro como um todo.

Até porque, não a outro fator o São Paulo atribui as incontáveis manifestações de apóio que o Estádio do Morumbi recebeu desde o início desse processo. Logo após o anúncio da decisão da FIFA/LOC, a Imprensa cumpriu seu papel de forma irretocável, ao produzir um sem número de comentários, na TV, no rádio, nos sites, nos blogs, ressoando o sentimento cristalizado na opinião pública que compreendeu a proposta do São Paulo de oferecer à Cidade o Estádio do Morumbi enquanto uma alternativa viável e responsável para servir aos propósitos da Copa do Mundo do Brasil.

Diante dessas manifestações, o São Paulo não tem outra postura a tomar senão reafirmar que continua de portas abertas para receber, no Estádio do Morumbi, a Copa do Mundo de 2014 e fazer dela um evento digno da sua importância e da imagem que o Brasil e a Cidade de São Paulo pretendem transmitir ao Mundo como o maior legado que a realização de tão grandioso evento representará.

Neste momento, resta ao São Paulo aguardar pelas decisões a serem tomadas pelos agentes responsáveis pela condução desse processo. Aguardar e estar absolutamente atento e vigilante a tudo que possa vir a representar afronta aos seus interesses. A Justiça é filha do Tempo. O Tempo é o Senhor da Razão. O Tempo dirá. E nós também.

JUVENAL JUVÊNCIO
PRESIDENTE

Nota Oficial 17/06/2010

Manifestação do São Paulo Futebol Clube sobre a Copa do Mundo de 2014

SPFC - 17/6/2010

A significativa repercussão do anúncio feito pela FIFA/LOC sobre a participação do Estádio do Morumbi na Copa do Mundo de 2014 obriga o São Paulo a voltar a se manifestar acerca do tema.

O São Paulo tem acompanhado com serenidade e satisfação as inúmeras manifestações que refletem a indignação da opinião pública, manifestada nas matérias de imprensa, comentários, blogs, cartas de leitores e e-mails divulgados pela Imprensa diante da decisão inusitada e arbitrária anunciada na data de ontem.

Realmente, restou frustrada a tentativa de relegar o assunto às "sombras" da Copa do Mundo de 2010. Felizmente, foi-se o tempo em que a Copa do Mundo desviava a atenção da opinião púbica e proporcionava terreno fértil para a realização de "tenebrosas transações".

Noticiam os jornais que, ainda ontem, o Presidente da CBF e do LOC resolveu, enfim, confirmar a realização do Jogo Inaugural em São Paulo. Até então, o LOC afirmara e reiterara que essa decisão somente se daria ao final de 2010 ou no começo de 2011.

Nesse quadro, quatro cidades importantes do Brasil - São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Belo Horizonte - restavam compromissadas com a execução de projetos de construção e reforma das suas arenas com os caríssimos parâmetros exigidos para a Abertura, sob a expectativa de que apenas uma delas iria realmente realizar o Jogo Inaugural. Exatamente como aconteceu com a Cidade do Cabo na África do Sul.

Foi contra esse estado de coisas que o São Paulo ousou se insurgir. E o fez em nome da sua História, pelo respeito pelo seu Patrimônio Social e pela responsabilidade em representar com seriedade a candidatura de uma cidade com a grandeza de São Paulo.

Ao enviar o Projeto imposto pela FIFA/LOC para realizar a Abertura, recebeu como resposta que estava qualificado para a semifinal. Ao orçar tal Projeto, constatou que o preço da empreitada ficaria em R$ 630 milhões, valores absolutamente não recomendáveis para serem assumidos por um clube de futebol nesse cenário de absoluta insegurança sobre o seu papel na competição.

Diante disso, tomou a iniciativa de contratar a elaboração de um novo Projeto, totalmente aderente às exigências da FIFA para jogos de Copa do Mundo, mas sem os excessos demandados para o Jogo de Abertura. Apresentou ainda, um Plano de Viabilidade Financeira, que estava sim, ao contrário do que se pretendeu alegar, suportado por sólidas garantias prestadas por empresas do porte da Construtora Camargo Correa, da VISA, do Banco Rendimento e da Phillips.

O Projeto, o Plano de Viabilidade e as garantias foram protocoladas junto ao Comitê Paulista em 14 de junho de 2010, ou seja, absolutamente dentro do prazo de 30 dias concedido pela FIFA/LOC na carta recebida pelo São Paulo em 14 de maio de 2010.

O Comitê Paulista ratificou a iniciativa do São Paulo em apresentar esse novo Projeto, conforme decisão tomada em reunião realizada em 8 de junho no Palácio dos Bandeirantes e comunicada pelo Comitê em nota oficial publicada na mesma data. Da mesma forma, o Comitê Paulista aceitou o Projeto, o Plano de Viabilidade e as garantias apresentadas pelo São Paulo, ao remeter tais documentos à FIFA/LOC, por meio de Ofício no mesmo dia 14 de junho de 2010.

Até por isso, chama a atenção o procedimento adotado pelo LOC ao responder à comunicação oficial remetida pelo Governo e pela Prefeitura de São Paulo. O LOC recebeu um Ofício remetido por um Governo Estadual e por uma Prefeitura e sequer se dignou a responder por meio de um ofício formal. Ao contrário, limitou-se a manifestar sua decisão por meio de uma nota lacônica no site da CBF. Uma nota claramente desrespeitosa, na medida em que ousa afirmar que o Projeto enviado pela Cidade de São Paulo para a reforma do Estádio indicado pela Cidade de São Paulo sequer "será examinado".

A realização da Copa do Mundo tem inegáveis e indiscutíveis benefícios. Mas tais benefícios não justificam a subversão institucional dos poderes do Estado legitimados pela expressão da vontade popular.

O São Paulo se tranqüiliza ao constatar as seguidas manifestações do Governo do Estado e da Prefeitura no sentido de que não realizarão investimentos públicos para a construção de novas arenas, até porque entende que tal manifestação significa que também não haverá investimentos públicos para prover infraestrutura para estádios privados geridos com a finalidade de servir como fonte de lucro para "empreendedores" interessados em utilizar a oportunidade da Copa do Mundo como fonte para "novos bons negócios".

Por tudo quanto já mencionado, o São Paulo reforça sua confiança de que o Estádio do Morumbi é, e sempre foi, a melhor opção para a realização da Copa do Mundo na Cidade de São Paulo.

O São Paulo voltará a se manifestar sobre o assunto se e quando necessário.

p.s. Essa história ainda não acabou...

p.p.s Deixo claro aqui que não posso emitir opinião sobre esses acontecimentos. Somente registrar os fatos aqui comigo, para o futuro. Como funcionário devo seguir o aconselhamento de não me envolver e nem envolver meus leitores em minhas opiniões e constatações. Aviso isso pois sei que muitos gostariam de ler algo sobre. Enfim. Fica pro futuro.

4 comentários:

  1. Resposta digna de um grande clube, em nenhum momento citou toda a sujeira que está por trás desse processo, interesses de outros clubes, empreiteiras e políticos... E ainda assim se mostrou arcando com suas responsabilidades com relação ao Morumbi.
    Se os governos municipal, estadual e federal forem transparentes o suficiente com toda a população não teremos gastos exorbitantes com um novo estádio e então o Morumbi vai concorrer com a Arena Palestra Itália, que vai parecer piada perto do que o Morumbi será se for reformado!

    ResponderExcluir
  2. Estou aborrecido mas não surpreso com a a exclusão do MORUMBI da copa,pois os interesses que estão por tras extrapolam ao do futebol!Passei a tarde de ontem retirando os enfeites verde-amarelos de minha casa,pois me nego a torcer por essaa sele...digo,time da cbf!Hastiei a bandeira do SAO PAULO F.C.como forma de protesto,como foi feito no passado!SAUDAÇOES TRICOLORES!

    ResponderExcluir
  3. era mais bonito dar um estadio pros gambas ja que eles nao tem competencia de fazer um, nao assisto mais jogo na globo, se eles sao pelo corintians, assisto por outra emissora

    ResponderExcluir
  4. Ainda acredito no Morumbi como sede da Copa 2014, pois é inconcebível que o maior estádio do estado fique fora deste evento.

    O Brasil é PENTA, e o São Paulo Futebol Clube é TRI - MUNDIAL.

    A FIFA tem suas teimas mas acaba cedendo à lógica, e a CBF também.

    ResponderExcluir

Grandes Taças