SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE

CNPJ/MF nº 60.517.984/0001-04
Fundação: 25 de janeiro de 1930
Apelidos: O Mais Querido, Clube da Fé, SPFC, Tricolor Paulista.
Esquadrão de Aço (30-35), Tigres da Floresta (30-35), Rolo Compressor (38-39, 43-49), Tricolor do Canindé (44-56), Rei da Brasilidade (50-60), Tricolor do Morumbi (60-), Máquina Tricolor (80/81), Tricolaço (80/81), Menudos do Morumbi (85-89), Máquina Mortífera (92/93), Expressinho Tricolor (94), Time de Guerreiros (2005), Soberano (2008), Jason (08-09).
Mascote: São Paulo, o santo.
Lema: Pro São Paulo FC Fiant Eximia (Em prol do São Paulo FC façam o melhor).
Endereço: Pr. Roberto Gomes Pedrosa, 1. Morumbi; São Paulo - SP. CEP: 05653-070.
Site Oficial: www.saopaulofc.net
E-mail: site@saopaulofc.net
Telefone: (55-0xx11) 3749-8000. Fax: 3742-7272.

quinta-feira, 11 de março de 2010

Economista do Ano: 1974

Laudo Natel
"Economista do Ano 1974"


Do site e premiação: Economista do Ano.


Filho de Bento Natel e Albertina Barone Natel, Laudo Natel nasceu em São Miguel, Estado de São Paulo, a 14 de setembro de 1920.

Em Pirajuí, iniciou a carreira profissional, como modesto funcionário do Banco Noroeste. Em 1943, contraiu núpcias com dona Maria Zilda Gambá Natel, tendo o casal dois filhos: Ivan e Mauricio, ambos engenheiros formados, respectivamente, pelas escolas Mauá e Mackenzie.

Ainda em 1943, ingressava nos quadros de funcionários do então recém-formado Banco Brasileiro de Descontos, como escriturário. Transferiu-se de Pirajuí para Lins. Depois, Marília e, finalmente São Paulo.

Percorreu todas as escalas hierárquicas do Bradesco, chegando, em 1950, a Diretor. Mais Tarde, era elevado ao cargo de Diretor-Gerente do Bradesco, do qual, em 1970 se desligou, para assumir, pela segunda vez o Governo do Estado de São Paulo.

Economista.

Ex-Diretor da Associação Comercial de São Paulo.

Ex-Diretor do Sindicato dos Bancos do Estado de São Paulo.

Ex-Presidente da Comissão Consultiva Bancária do Conselho Monetário Nacional.

Em 1961, foi lançado pelo extinto Partido Republicano candidato a Vice-Governador do Estado. Concorrendo em faixas própria, foi eleito em pleito direto, recebendo nas urnas 1.200.807 votos. A 6 de junho de 1966, num dos momentos mais difíceis da vida Político-Administrativa do Pais, assumiu, por outorga constitucional o Governo do Estado de São Paulo.

Nos poucos meses de gestão, encerrada a 31 de janeiro de 1967, dedicou-se, com êxito, à tarefa de sanear e recuperar as finanças paulistas, então, seriamente abaladas. Paralelamente, promoveu a pacificação político-social do Estado, reconduzindo-o à posição de destaque que sempre ocupou no cenário nacional.

Reabriu o dialogo com as classes trabalhistas e estudantis, restabeleceu a confiança e a segurança nos meios empresariais e proporcionou a solidez imprescindível à economia bandeirante.

Foi na sua primeira gestão à frente do Governo de São Paulo, que, com decidido apoio do Governo Federal, chefiado pelo Presidente Humberto de Alencar Castello Branco, unificou as onze Hidrelétricas paulistas, fundindo-as numa só empresa, a Centrais Elétricas de São Paulo (CESP), hoje a maior companhia, em capital, da América Latina e responsável por 49% da execução do Plano Energético Nacional.

Dirigiu pessoalmente diversas Campanhas de Benemerência, como Empresário, como Administrador e como Político, destacando-se entre elas o movimento do âmbito nacional que tinha por objetivo arrecadar fundos para Associação de Assistência à Criança Defeituosa. Chefiou também varias Campanhas da Associação Cristã de Moços para estender a instituição aos bairros da Capital Paulista e ao Interior do Estado.

Esportista, foi, primeiramente, diretor-tesoureiro do São Paulo F.C., exercendo, posteriormente, a presidência dessa Agremiação em seis mandatos, de 1958 a 1970, período em que foi construído o Estádio Cícero Pompeu de Toledo, a maior praça de esportes particular do mundo.

Membro do Comitê Olímpico Brasileiro.

Cidadão Honorário de quase todos os municípios paulistas. É também cidadão Paulistano, titulo que lhe foi outorgado pela Câmara Municipal de São Paulo.

Cidadão Honorário de outros Estados e Municípios Brasileiros.

Inteiramente voltado às causas da juventude, após deixar o Governo bandeirante, em 1967, dedicou-se a uma nova cruzada que tinha por escopo a criação e a instalação ou o simples reaparelhamento de escolas, particularmente as de nível superior.

A primeira turma de Acadêmicos de Medicina de Santos atribuiu-lhe um titulo: "Governador da Juventude".

Jovens paulistas e mineiros solicitaram-lhe ajuda num velho anseio: a criação da Faculdade de Medicina de Itajubá. Estado de Minas Gerais.

A escola, logo depois, programava a aula magna e os estudantes, numa demonstração de reconhecimento, davam o nome de Laudo Natel ao Centro Acadêmico e lançaram o jornal "Laudo Médico".

Desde 1967, já paraninfou mais de 600 turmas de estudantes de cursos secundários a universitários.

Dos 42 Sindicatos de Trabalhadores da Baixada Santista recebeu um título: "Governador dos Trabalhadores".

Em 1970, foi indicado como candidato da ARENA ao Governo de São Paulo.

Homologada a candidatura em Convenção Partidária, a Assembléia Legislativa elegeu-o Governador do Estado, a 3 de outubro de 1970, para o quatriênio 1971/75 A 15 de março de 1971, assumiu a chefia do Executivo Bandeirante.

Possui, entre outras, as seguintes condecorações e distinções:

Grã-Cruz da Ordem Leopoldo II, da Bélgica.

Ordem do Condor dos Andes, da Bolívia.

Grã-Cruz do Mérito da Ordem Soberana e Militar de Malta.

Grã-Cruz da Ordem do Ipiranga.

Grande Oficial da Ordem do Mérito Aeronáutico.

Comendador da Ordem Eqüestre do Santo Sepulcro de Jerusalém.

Grã-Cruz da Ordem de Cristo de Portugal.

Grã-Cruz da Ordem da Estrela do Acre.

Ordem do Tesouro Sagrado (1º Grau) do Japão.

Medalha da Independência, da Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo.

Comenda Santa Apolônia do Sindicato dos Odontologistas de São Paulo.

Medalhão Comemorativo do Centenário do Nascimento de Santos Dumont, do Ministério da Aeronáutica.

Medalha Pero Vaz de Caminha, do Instituto Histórico e Cultural de São Paulo.

Cruz do Anhembi, da Sociedade Amigos da Cidade de São Paulo.

Medalha Paris, do Centro de Altos Estudos e Armamento, da França.

Cruz de João Ramalho.

Diploma e Medalha Arnaldo Vieira de Carvalho, outorgados pela Congregação da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Doutor "Honoris Causa" da Faculdade de Medicina de Marília.

Doutor "Honoris Causa" da Faculdade de Medicina de Santos.

Um comentário:

  1. Laudo Natel.
    Como Governador foi um Ótimo Presidente do São Paulo.
    O SPFC - FATO - deve muito à este homem, apesar de termos vivido uma séria ditadura, da qual LN fazia parte.
    Mas uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa.
    Até hoje Laudo Natel é venerado no São Paulo e nossos adversários morrem de inveja, ciúmes, etc..., de termos tido um Governador fanático.
    ---------------
    Se o Lula fosse torcedor mesmo, os galinhas já teriam uma "arena" até para a final da copa2014, porém, Laudo Natel só houve 1, habilidoso ao extremo, ao estimular e incentivar a construção do Morumbi.
    ---------------
    E parabéns ao SPFCPEDIA por contar a história, já que a nova geração mal lê jornais.
    Grande Laudo Natel.

    ResponderExcluir

Grandes Taças