SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE

CNPJ/MF nº 60.517.984/0001-04
Fundação:
25/27 de janeiro de 1930 (16 de dezembro de 1935).
Apelidos: O Mais Querido, Clube da Fé, SPFC, Tricolor Paulista.

Esquadrão de Aço (30-34), Tigres da Floresta (30-35), Rolo Compressor (38-39, 43-49), Tricolor do Canindé (44-56), Rei da Brasilidade (50-60), Tricolor do Morumbi (60-), Máquina Tricolor (80/81), Tricolaço (80/81), Menudos do Morumbi (85-89), Máquina Mortífera (92/93), Expressinho Tricolor (94), Time de Guerreiros (2005), Soberano (2008), Jason (08-09), 633 Squadron (2009).

Mascote: São Paulo, o santo.

Lema: Pro São Paulo FC Fiant Eximia (Em prol do São Paulo FC façam o melhor).

Endereço: Pr. Roberto Gomes Pedrosa, 1. Morumbi; São Paulo - SP.
CEP: 05653-070.
Site Oficial: www.saopaulofc.net ou www.spfc.com.br

E-mail: site@saopaulofc.net
Departamento Amador: esportesamadores@saopaulofc.net

Telefone: (55-0xx11) 3749-8000. Fax: 3742-7272.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Você votaria pelo fim do São Paulo?

Acredite, 113 "são-paulinos" votariam. Aliás, votaram.

Em 14 de maio de 1935, às 14 horas, na Praça Ramos de Azevedo, nº 4, após idas e vindas na justiça, ocorreu uma Assembleia Geral Extraordinária, presidida pelo Dr. Alberto Hugo de Oliveira Caldas e secretariada pelo Dr. Luiz Lopes Coelho e Sr. Hélio Pereira de Queiroz, que definiu o futuro do São Paulo Futebol Clube, nascido em 1930.

Seu fim, em fusão com o CR Tietê.

Justificou o Dr. Paulo Machado de Carvalho tal decisão pelos seguintes motivos: Decadência moral do futebol, sua impraticabilidade devido à cisão das ligas e também pela falta de garantias jurídico-contratuais com os futebolistas (Lembro que pouco antes o SPFC havia perdido 4 jogadores, que sairam fugidos, furtados pela Seleção - então controlada por uma federação a qual o clube não fazia parte, para a Copa do Mundo de 1934).

Em suma estes foram os principais motivos apontados - e diga-se de passagem, de legítima altercação -, embora também citasse em seu discurso os custos com a reforma do Estádio da Floresta e o tal desequilíbrio financeiro... secundariamente. E ai sim, se fosse por isso, a situação seria risível.

Vingativos, egoistas, etc. Por vários nomes do gênero foram chamados os homens que tomaram essa decisão. Pois preferiram destruir o que construíram a deixar que outros tomassem conta - e talvez aprimorar aquilo que não conseguiram.

Dos 205 sócios fundadores que teriam direito a voto (somente com esse status poderia participar), somente 151 estavam aptos à tal (não haviam sido expulsos, eliminados, ou se demitidos do quadro de sócios, e também, obviamente, não falecidos).

Enfim, os 113 homens que votaram pelo fim do São Paulo:

001. Eugênio Sodré Borges. - Médico e futuro prefeito de São Gonçalo, no RJ.
002. Jair Martins (por procuração dada a Eugênio Sodré Borges).
003. Eurico Sodré.
004. Edmundo Xavier Ribeiro de Mendonça.
005. José Carlos de Macedo Soares.
006. Augusto Ribeiro de Mendonça.
007. Julio Revoredo
008. Antônio Cândido Azevedo Sodré.
009. Oswaldo Brancante Machado.
010. Umberto Whitaker Penteado.
011. Paulo N. (ou M.) de Barros.
012. Américo Floriano de Toledo (por procuração dada a Paulo N (ou M.) de Barros).
013. Henrique Pegado.
014. Joaquim de Campos Salles.
015. Victor Luis P. de Souza.
016. Firmino Pires de Melo.
017. Paulo de Queiroz.
018. Victor de Queiroz.
019. Álvaro de Souza Queiroz.
020. Caio Luiz P. de Souza.
021. Waldo Rollim de Moraes.
022. Nelson Berlink.
023. Caetano Notari.
024. Arnaldo Alves da Motta.
025. Caetano Caldeira. - Jogador.
026. Manoel Pereira de Rezende.
027. Flávio M. Campos.
028. Lahir (ou Salim) de Castro Cotti.
029. Raphael Luiz P. de Souza.
030. João de Barros.
031. Leonel Benevides de Rezende.
032. Manoel de Toledo Passos.
033. Plínio da Silva Prado.
034. Carlos Prado.
035. Francisco Armando Junior.
036. José Accacio Fontoura.
037. Luiz Gonzaga de Toledo (por procuração dada a José Accacio de Fontoura).
038. Adalberto de Queiroz Telles Filho.
039. Cândido Cortez.
040. Nelson de Andrade Coutinho.
041. João de Almeida e Brito (por procuração dada a Nelson de Andrade Coutinho).
042. Martinho da Silva Prado. - Irmão de Antônio Prado Junior.
043. José Cerquilho de Assunção.
044. Francisco Coutinho Filho.
045. Carlos de Souza Nazareth.
046. Marcos Ribeiro dos Santos.
047. Roberto Nioac (ou Nicac).
048. Tito Pacheco Junior.
049. Sylvio de Andrade Coutinho.
050. Francisco Luiz da Cunha Bueno.
051. Joaquim Luiz Alves de Lima.
052. Eduardo da Silva Ramos.
053. Antônio C. Conceição.
054. Jorge Alves de Lima.
055. Alberto Hugo de Oliveira Caldas.
056. Ataliba José Pompeu do Amaral.
057. Paulo Espíndola de Aquino (por procuração dada a Ataliba J. P. do Amaral).
058. Cantídio de Moura Campos. - Futuro secretário da educação da Cid. de SP, que teve que dar a autorização para a "reestréia" do SPFC.
059. José Martins Costa.
060. Julio Mesquita Filho. - Jornalista e advogado, Diretor da OESP, fundador da Rádio Eldorado, ex-presidente, o 1º, do conselho deliberativo do SPFC.
061. Raul Vieira de Carvalho.
062. Roberto (ou Rodrigo) Alves de Almeida.
063. Augusto Rodrigues Junior.
064. Cincinato Reichert.
065. Gastão Rachou. - Ex-dirigente do CA Paulistano.
066. Raul Estella (por procuração dada a Gastão Rachou).
067. Raul Guimarães.
068. Luiz Marcondes de Moura.
069. Antônio Carvalho Saraiva.
070. Luiz Augusto Saraiva.
071. Luiz Augusto Pereira de Queiroz.
072. Clodoaldo Caldeira. - Jogador, o Clodô.
073. Edgard Tibiriçá.
074. João Álvaro Botelho de Miranda.
075. Adelino Alves.
076. Fernando Egydio de Oliveira Carvalho.
077. Marcello Paes de Barros.
078. Augusto Brandt de Carvalho.
079. Bernardo Morelli Junior.
080. Oswaldo Sampaio.
081. Raphael Salles Sampaio.
082. Edmundo C. Amorim.
083. A. Gabriel da Veiga.
084. João Baptista da Cunha Bueno.
085. José Junqueira de Oliveira.
086. Erasmo de Toledo.
087. Cid Amand (ou Arnaud) Costa.
088. Antônio Augusto Fleury de Assumpção.
089. Samuel Augusto de Toledo.
090. Thomaz da Cunha Bueno.
091. Frederico de Souza Queiroz.
092. Manfredo Costa Junior.
093. Lauro Sousa Lima.
094. Estevam José de Almeida Prado.
095. Miguel dos Santos Junior.
096. Arthur Nascimento Junior.
097. Antônio de Toledo Passos.
098. Sylvio Costa Booch (ou Book). - Jogador, de Linha Média.
099. Névio Barbosa.
100. Paulo Machado de Carvalho. - Empresário e advogador, fundador da Rádio Record e posteriormente dono da Rádio Panamericana.
101. José Augusto de Siqueira (por procuração dada a Paulo M. de Carvalho).
102. Cincinato Cajado Braga.
103. Plínio Botelho do Amaral. - Engenheiro e arquiteto, projetou o famoso prédio do Banespa.
104. Luiz Fernando do Amaral.
105. João Baptista de Souza Aranha. - Souza Aranha, tradicional família de barões. Herdeiros do Barão de Anhumas.
106. Vasco Baruel Galvão Bueno.
107. Luiz de Oliveira Barros.
108. Arthur José da Nova (por procuração dada a Luiz de Oliveira Barros).
109. Antônio Prado Junior. - Engenheiro e político (deputado e prefeito do RJ), foi também dirigente e fundador do CA Paulistano.
110. Manoel Carlos Aranha.
111. Antônio Manoel Alves de Lima.
112. Duffles (ou Duffler) de Camargo Bueno.
113. Flávio Rodrigues.

Deixaram de votar (abstiveram) 33 senhores, dos quais 12 justificaram suas decisões em nota oficial de protesto - por julgarem que a decisão no fim já era favas contadas, tendo sido proclamada em rádio na noite anterior:

01. Homero Cordeiro.
02. Nelson Baia Chaves.
03. Jorge Faria.
04. Sylvio T. Ruy.
05. Jayme Torres.
06. Paulo Sampaio.
07. Paulo Meirelles (por procuração dada a Carlos Monteiro Brisolla).
08. Cássio Villaça.
09. Maurício Villela.
10. Bartholomeu Vicente Gugani. - Jogador, o Barthô.
11. Joviano Telles.
12. Hélio Pereira de Queiroz.

13 - 32. Desconhecidos, no momento.
33. Francisco Luiz Ribeiro.

E por fim, os únicos cinco bravos que foram contra o fim do SPFC:

01. Carlos Monteiro Brisolla.
02. José de Godoy.
03. José Sampaio.
04. Desconhecido, no momento.
05. Desconhecido, no momento.

*Nota: Alguns nomes não foram divulgados em todos os textos consultados. Buscarei em breve noutras fontes, se possível, essa informação.

**Em negrito, nomes de destaque do cenário paulistano ou da vida tricolor.

Fontes:
Revista Arakan - São Paulo Futebol Clube (1930-1942).
Revista Tricolor - Orgão Oficial do São Paulo Futebol Clube, nº 6, pgs 42-43.
Álbum Comemorativo do Estádio Cícero Pompeu de Toledo.
"Um Pouco de História do Tietê", de Raul Leme Mon... (nome ilegível).
Livro de Controle de Sócios do São Paulo Futebol Clube (1930-1935).


25 comentários:

  1. Saudações tricolores, Michael!

    A situação não devia ser nada simples. Penso que ninguém duvida da são-paulinidade de Paulo Machado de Carvalho.
    Eles devem ter se arrependido tanto, que essa lista ficou "esquecida" durante décadas. Talvez fossem muito novos à época.
    Para bem e para mal as decisões de diretoria no SPFC são alheias ao apelo popular de torcida. Ao que parece, o ato de encerrar o futebol no Paulistano é o precursor desse tipo de ação, pois até esse clube elitizado estava cada vez mais popular. Storti e Fontenelle afirmam que o Paulistano recebeu o apelido de "O Mais Querido" após uma pesquisa na década de 20. Tenho (como você) reservas quanto a essa fonte.
    Uma pergunta. Todos esses grifados em negrito refundaram o São Paulo?

    Jaime Moreira

    ResponderExcluir
  2. Era complicada sim. Mas a quantidade expressiva de votos mostra que havia algo mais. Se fosse meramente o cenário conturbado, teria sido mais apertado.

    Mas, como o Mazzoni também diz (jornalista da gazeta). Muitos pontos levantados por quem fechou o clube eram válidos, justos, mas nada que fosse de mais valor que o proprio clube, que sua existencia... Enfim.

    Mas concordo com isso que diz de que as ações no SPFC sao mais racionais que emotivas. E olha que mesmo naquela epoca houve protesto do povo, da torcida, em frente ao Trocadero.

    Sobre o mais querido do Paulistano, mesmo que nao de credito ao segundo nome dessa fonte, é bem isso mesmo. Ele tambem tinha o apelido de Mais Querido. Só nao lembro bem no momento o contexto em que ganhou esse nome. Se topar com isso por ai, te aviso hehe.

    Ah, e os nomes em negrito sao somente personalidades famosas, que eu saiba de cor, vai ver tem mais gente importante ai, mas que eu desconheça. Alias, certamente tem.

    ResponderExcluir
  3. Paulistano como O Mais querido é nova pra mim...

    Bom, se analisarmos friamente, o SPFC era um clube novo, muitos vinham de outros clubes, logo, não tinham em si, um vínculo afetivo forte ao novato clube, por mais que o amassem... E muitos clubes novatos passaram por isso... é complicado julgar esse ou aquele, como à pouco fiz com Paulo Machado de Carvalho hehe....

    Como Michael disse, ele já estaria em outro clube, depois com a fusão, retornou ao SPFC...

    Eu realmente só lamento, o SPFC hoje, não considerar a fundação em 1930, mas vangloriar Fried e o título de 31... momentos conturbados, todos os clubes passaram...

    E com o SPFC não seria diferente, apesar de na época ter torcida, era novato, sendo que já existia clubes consolidados no cenário como Palestra e Corinthians..

    ResponderExcluir
  4. Obrigado pelas respostas.

    No livro, A História do Campeonato Paulista, dos jornalistas citados acima, na página que trata do Campeonato de 1918, é citada uma tômbola da Cruz Vermelha, com 131 mil bilhetes comercializados. Resultado:
    1º CA Paulistano: 52%
    2º SS Palestra Itália: 25%
    3º AA das Palmeiras: 7%
    4º Ypiranga, S. Bento e Santos: 4% cada
    7º SC Corinthians Pta: 3%
    Estranho o fato de o Santos ter mais bilhetes que o Corinthians. O fato é que a torcida do alvirrubro não se limitava a meia dúzia da nata da sociedade paulistana.

    Bom... Fugi ao tema, mas nem tanto. Se o apelo popular fosse levado em conta, nem o Paulistano abandonaria o futebol. O inconformismo foi tanto que o SPFC de 1930 lotava o campo da floresta (segundo o livro A Saga de um Campeão).

    ResponderExcluir
  5. 1º CA Paulistano: 52%
    2º SS Palestra Itália: 25%
    3º AA das Palmeiras: 7%

    Entre os 3 primeiros... 2 clubes fundadores do SPFC... é, pelos dados, SPFC em 1930 , na teoria, era a maior torcida de SP?? HEhe...

    ResponderExcluir
  6. Isso não. Mas de poder aquisitivo alto, com certeza.

    ResponderExcluir
  7. Como você mesmo disse, Fernando. Mudar de um clube para outro não traz consigo o amor antigo.

    Nem todo alvi-rubro virou tricolor.

    ResponderExcluir
  8. A cidade crescia rápido, recebia muita gente. Os times de colônia (na falta de perfume, colônia, hehehe) atraiam esses torcedores. E estavam conquistando títulos, embora o CAP também estivesse.
    E para não perder a piada, três fragâncias: gambec, suinux e bacalhaux.

    ResponderExcluir
  9. O sobrenome Campos Salles (voto 014) é o mesmo do 4º Presidente da República: Manoel Ferraz de Campos Salles (1894-1898).

    O sobrenome Souza Aranha (voto 105) está ligado à Light & Power, à iluminação da Chacára da Floresta e à primeira diretoria: Edgard de Souza Aranha.

    Os sobrenomes dos votos 33, 50, 77, 84 e 90 são bem conhecidos. Longe de mim pesquisar árvores genealógicas. Só para constar mesmo.

    ResponderExcluir
  10. Fica difícil falar algo sobre. "Condenar" ou "aplaudir" este ou aquele.

    Seria de extrema importância viver a época e fazer parte daquela diretoria para entender todos os fatos que levaram o São Paulo FC a abandonar o futebol, tendo apoio da quase absoluta totalidade dos sócios do clube.

    Era muita vontade de acabar com o clube. Quem não pôde, por algum motivo, comparecer á Assembléia Geral Extraordinária, até procuração fez questão de passar para poder votar a favor da extinção do seu "amor" (é o que se presume que um sócio sinta pelo seu clube).

    Ainda bem que apaixonados são-paulinos, absolutamente descontentes com a posição da esmagadora maioria, se reuniram meses depois e refundaram o São Paulo FC, mesmo sem patrimônio e nem mesmo um time de futebol. O "erro" foi corrigido.

    ResponderExcluir
  11. Jaime Moreira disse...

    Pelo que tenho lido nos comentários, gostaria de propôr uma linha de raciocínio:

    1º) As atitudes da diretoria geralmente são pouco influenciadas pela torcida, desde a época do Paulistano. Cito apenas três: (a) extinção do futebol no Paulistano (1929), (b) fim do SPFC da Floresta (1935) e (c) demissão de Muricy Ramalho (2009). Claro que esse modo de agir trouxe também vantagens como aguentar um jejum de títulos para fazer o estádio e manter técnicos no cargo, garantindo melhores condições para sequências de trabalho.

    2º) O inconformismo atuante surge em consequência das atitudes citadas: (a') fundação do SPFC (1930), (b') resurgimento do SPFC (1935) e (c') torcida pedindo a volta de Muricy (2009).

    3º) No equilíbrio dessas forças, o SPFC é estável: Ação racional, reação passional.

    Nenhuma delas é melhor ou pior. A evolução histórica, no entanto, tem sido de aproximação ao povo. O Paulistano saiu do berço da elite, o SPFC da Floresta entrou em uma fase de maior popularização do futebol e o SPFC atual nasceu para ser popular, o clube de São Paulo e do Brasil. O fato recente que comprovou essa popularidade foi a recepção ao time Tricampeão Mundial em 2005, digna de Seleção Brasileira campeã.

    No final das contas, o "erro" foi corrigido (melhor dizendo: o fato foi superado*). Esse fato tão marcante, no início da trajetória tricolor, serviu de lição para que o SPFC prosseguisse em uma linha de melhores administrações, defensoras do clube.

    * Foi superado mesmo? Então, porque a posição oficial é por fundação em 1935? Na frieza da letra é isso mesmo, mas, e a história?

    Isso tudo será muito difícil de saber. Como seria uma entrevista com essas pessoas que fecharam o clube? Quase 75 anos depois, o que se recuperaria de fato da história? Quantos ainda vivem? O que eles falavam para filhos e netos?

    Será que esses homens já não deixaram a melhor resposta para nós fazendo e refazendo o clube da forma que ele é, vitorioso e popular?

    A história passada pode condená-los, mas a história viva (SPFC) os enaltece!

    Questões... apenas questões!

    ResponderExcluir
  12. Sei que é um nome comum, mas o Corinthians teve um presidente (1933-34) chamado José Martins Costa (número 59 da lista). Será o mesmo?

    ResponderExcluir
  13. Em tempo, Antônio Prado Junior foi presidente do Paulistano e Manoel Carlos Aranha diretor (talvez tenha sido presidente também).
    E deve ter um monte de outros na lista.

    ResponderExcluir
  14. Estava fuçando um livro que tenho aqui em casa, e curiosamente encontro Antônio Prado Junior e Manoel Carlos Aranha, também conhecido como Carlito, envolvidos em uma operação para salvar o Paulistano da dissolução, em 1915!
    Vai ver estavam cansados de salvar clubes...

    ResponderExcluir
  15. Complementando, identifiquei ainda na lista os seguintes nomes que figuravam entre os jogadores do Paulistano que foram na excursão à Europa em 1925:
    Clodoaldo Caldeira
    Caetano Caldeira
    Bartholomeu Vicente Gugani, o famoso Barthô
    e Maurício Villela

    ResponderExcluir
  16. O CA Paulistano era o grande clube da época. Há uma facilidade maior em encontrar nomes ligados a ele do que à AA das Palmeiras.

    ResponderExcluir
  17. O 4º Presidente da República foi mesmo M.F. de Campos Salles, mas o seu período de governo foi de 1898 a 1902.

    ResponderExcluir
  18. Nossa, essa postagem e os comentários estão me surpreendendo, isso ainda tem muito, mas MUITO o que ser explorado.

    ResponderExcluir
  19. Nossa, verdade. Clodoaldo Caldeira = Clodô, zagueiro. Bartholomeu Vicente Gugani, como disse, o Barthô, outro zagueiro. Formavam a dupla de zaga nos anos 30.

    Caetano e Maurício eram mais reservas.

    E lembrando disso, me vem a cabe que Nestor, goleiro, também era sócio (alias foi ate sócio numero 1 um tempo, se nao me engano). E nao apareceu nas listas.

    O que deveria fazer é pesquisar nome por nome ao menos no Google hehe.

    E seguindo a dica de um colega no twitter, pesquisar que nomes dessa lista que votou pelo fim que um dia voltaram ao SPFC.

    Com o tempo, vou complementando.

    ResponderExcluir
  20. HOJE, COM A RAIVA QUE MUITOS SÃOPAULINOS ESTÃO, SE BOBEAR, ACHO QUE TODOS VOTARIAM PELO FIM DO SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE.
    EU NÃO ENTENDO PORQUE ESSE RICARDO GOMES NÃO PEDE DEMISSÃO DO SAO PAULO.
    PARECE QUE, O QUE ELE QUER MESMO É ACABAR COM O SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE.
    ESSE JUVENAL JUVÊNCIO É OUTRO, ALÉM DE NÃO CAIR FORA DO SÃO PAULO, AINDA CONTINUA COM ESSE RICARDO GOMES.
    OS JOGADORES ENTÃO ...:- O ROGÉRIO CENI É O ÚNICO QUE AINDA NÃO CONHECE AS PARADINHAS DO NEYMAR, É O CÚMULO, NÃO DÁ PARA ENTENDER.
    PARECE QUE T O D O S ESTÃO COMBINADOS, ESTÃO DE COMUM ACORDO, PARA O F I M DO SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE.
    COMO DIZ O BÓRIS CASÓI:= "ISTO É UMA VERGONHA".
    NÃO DÁ MAIS PARA AGUENTAR ESSA SITUAÇÃO.

    ResponderExcluir
  21. Amigo sãopaulino acima. Criativo hein!
    Mas, não é pra tanto. O clube tem várias falhas, desde o ano passado:
    1 - Cansou de ganhar.
    2 - Apostou em um técnico.
    3 - Pensa demais em Morumbi na Copa.
    4 - É um sacrifício para fazer a base subir.
    5 - Quis ter um superpatrocínio e ficou sem.
    6 - Marco Aurélio Cunha se tornou vereador.
    7 - Leco consegui tirar Muricy,mas não conseguiu outro de mesmo nível.
    8 - É normal o desempenho de R. Ceni cair, mas ele não pode ser apontado como problema. Ele é demais como atleta e como sãopaulino.
    9 - A política da FPF não é neutra, mas amplamente desfavorável.
    10 - Só jogamos um clássico em casa e saímos atrás, com gol contra.

    Mesmo assim, o ano não acabou. Vamos São Paulo!

    ResponderExcluir
  22. moacir candido do prado17 de setembro de 2010 17:41

    o que houve foi um jogo de poder, tal qual uma sociedade ha discordancias, a divida poderia ter sido paga, mas a vaidade nao deixou, ja haviam prenuncios do fim quando foi fundado o estudantes ja se antevia o fim, existem muitos misterios mas quem poderia elucida-los se estivessem vivos teria muito mais de cem anos entao sao coisas e fatos que nunca serao esclarecidas, faltou ao sao paulo, gente que registrasse sua historia, e ate chato mas se quizermos saber da historia do sao pauo temos de entrar no site dos porcos e dos gambas que la encontramos coisas que nunca achariamos no site do sao paulo. ainda bem que hoje temos o michel que pesquisa e registra os fatos que nos torcedores queremos saber

    ResponderExcluir
  23. Sou mais São-Paulino que brasileiro!

    A CBD já aprontava com o São Paulo da Floresta! Brincadeira!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  24. Só fiquei sabendo do Brasil e Escócia de hoje na hora do jogo do São Paulo, quase uma hora antes de Rogério virar Rogér100! E com vitória.

    Sou mais são-paulino que brasileiro.

    ResponderExcluir
  25. Sou mais são-paulino que brasileiro.

    Brigas de torcidas, mortes nesses conflitos, tribunais, tapetões, estádios doados, acidentes evitáveis... Em 2013 nosso time foi mediano, mas teve honra de lutar em campo para não cair. Outros times menores já caíram, mas tiveram honra de pagar pelos seus erros em uma série b.

    Votar pelo fim do SPFC não seria impossível para mim, dada a vergonha que impera no futebol brasileiro. Acho que seria a única maneira para que eu parasse de torcer no futebol. Mas, meu carinho dificultaria muito esse tipo de voto.

    ResponderExcluir

Grandes Taças