SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE

CNPJ/MF nº 60.517.984/0001-04
Fundação: 25 de janeiro de 1930
Apelidos: O Mais Querido, Clube da Fé, SPFC, Tricolor Paulista.
Esquadrão de Aço (30-35), Tigres da Floresta (30-35), Rolo Compressor (38-39, 43-49), Tricolor do Canindé (44-56), Rei da Brasilidade (50-60), Tricolor do Morumbi (60-), Máquina Tricolor (80/81), Tricolaço (80/81), Menudos do Morumbi (85-89), Máquina Mortífera (92/93), Expressinho Tricolor (94), Time de Guerreiros (2005), Soberano (2008), Jason (08-09).
Mascote: São Paulo, o santo.
Lema: Pro São Paulo FC Fiant Eximia (Em prol do São Paulo FC façam o melhor).
Endereço: Pr. Roberto Gomes Pedrosa, 1. Morumbi; São Paulo - SP. CEP: 05653-070.
Site Oficial: www.saopaulofc.net
E-mail: site@saopaulofc.net
Telefone: (55-0xx11) 3749-8000. Fax: 3742-7272.

domingo, 15 de março de 2009

Coerência sobre 1930 ou 1935

Reproduzirei abaixo um texto de Marcelo Leme Arruda, responsável pelo grande RSSSF no Brasil, publicado no Arquivo Tricolor, de Israel Peniza.

Para se pensar o que realmente é um clube? Se não uma associação de pessoas com os mesmos interesses, condutas, história, tradição e bens comuns.

Compartilhamos até mesmo os bens comuns - pois a Taça de Campeão Paulista de 1931 está no Memorial do Clube...
__________________

SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE, CAMPEÃO DESDE 1931!

Por : Marcelo Leme Arruda

Introdução

Há vários anos (desde o início da década de 1990, para ser mais preciso) a imprensa esportiva vem sistematicamente omitindo o título paulista de 1931 da lista de conquistas do São Paulo e considerando 1935 como sendo o ano da fundação do Tricolor. Os argumentos apresentados para tal postura são poucos e sempre os mesmos: “O "São Paulo da Floresta" e o atual São Paulo são entidades jurídicas distintas” e “a imprensa esportiva e o próprio São Paulo sempre consideraram serem entidades diferentes”.

Quanto ao primeiro argumento (“O "São Paulo da Floresta" e o atual São Paulo são entidades jurídicas distintas”), qualquer pessoa que empreenda uma observação minimamente imparcial e acurada dos livros, revistas e jornais publicados nas últimas décadas constatará facilmente que, na história do futebol brasileiro (e até mundial), há inúmeros casos de times que se fundem com amadores, desfazem a fusão, passam a usar o nome da cidade em convênio com a prefeitura, voltam ao nome anterior, fecham o departamento de futebol e são substituídos por outros clubes com o mesmo nome, licenciam-se e voltam à atividade com outro nome etc. e que, apesar de todas essas mudanças, são sempre tratados pela imprensa esportiva em geral como sendo sempre a mesma equipe. A segunda parte deste documento traz numerosos e detalhados exemplos desses casos, mostrando incontestavelmente que não há absolutamente qualquer razão para que o São Paulo (e apenas o São Paulo) não receba o tratamento igualitário habitualmente empregado pela imprensa esportiva para com outras equipes.

O segundo argumento (“a imprensa esportiva e o próprio São Paulo sempre consideraram serem entidades diferentes”), por sua vez, também não procede, pois existem diversas evidências a favor de que se considere o São Paulo como um único clube, fundado em 1930:

1) Até a segunda metade da década de 1980 (durante mais de 50 anos, portanto) todos os meios de comunicação consideravam unânime e pacificamente o São Paulo Futebol clube como sendo uma única entidade esportiva fundada em 26 de janeiro de 1930 e campeã pela primeira vez no certame paulista de 1931! A terceira parte deste documento reúne inúmeros recortes que comprovam irrefutavelmente essa posição.

Apenas a partir do início dos anos 90 é que, por razões totalmente insondáveis, os jornais e revistas simplesmente “decretaram” a distinção entre o “São Paulo da Floresta” e o “São Paulo atual” e passaram a omitir o título paulista de 1931 da relação de conquistas tricolores e pior: atestaram sua falta de conhecimento do assunto inventando o nome “São Paulo da Floresta Clube” (citado em diversos artigos publicados nos últimos anos) com que, supostamente, o Tricolor teria sido originalmente batizado. Ocorre, contudo, que qualquer pessoa que fizesse uma pesquisa com um mínimo de atenção e imparcialidade constataria facilmente que esse nome nunca existiu, que o clube foi fundado em 1930 já com o nome São Paulo Futebol Clube e que “São Paulo da Floresta” é apenas um apelido utilizado para designar as primeiras décadas da história do Tricolor, quando o clube mandava seus jogos no campo do bairro da Floresta.

2) A Federação Paulista de Futebol, por intermédio de seu website (http://www.futebolpaulista.com.br/bn_conteudo.asp?cod=76&opr=75&sec=75), reconhece o título paulista de 1931 como tendo sido conquistado pelo mesmo São Paulo Futebol Clube que venceu mais vinte campeonatos estaduais até 2005 (além do supercampeonato de 2002). (todos os campeões paulistas - lista oficial da FPF)

3) O próprio São Paulo Futebol Clube, cujo estatuto de 1935 diz que “continuará as tradições do campeão de 1931” sempre teve o título paulista de 1931 mencionado no seu timbre oficial, o qual lista todas os campeonatos conquistados do clube. Além disso, a revista oficial do clube incluiu essa conquista nas incontáveis matérias e edições especiais publicadas sobre os títulos tricolores ao longo da história. Por fim, como pode-se ver no próprio site oficial do São Paulo Futebol Clube (veja links abaixo), o próprio Tricolor paulista inclui o período de 1930 a 1935 e o título de paulista de 1931 em sua história

http://www.saopaulofc.net/1NOVO2.asp?PLC_map_001_c=03.01.04 (estatísticas) http://www.saopaulofc.net/1NOVO2.asp?PLC_map_001_c=03.01.05 (conquistas)

4) Dentro do São Paulo, as únicas pessoas contrárias à consideração de 1930 como data de fundação do Tricolor, são dirigentes da velha guarda ligados ao grupo responsável pela quebra de 1934 e que, por vergonha disso, preferem que a história tricolor comece zerada em 1935 a
perpetuar esse episódio negativo!

Portanto, diante de todos esses fatos comprovados e argumentos incontestáveis apresentados neste documento, a única postura justa e correta que se pode tomar nos livros, guias e reportagens futuramente produzidos é a de restituir a verdade histórica e de voltar a mencionar no histórico do São Paulo Futebol Clube a data de fundação de 26/01/1930 e o título do Campeonato Paulista de 1931!

Marcelo Leme de Arruda - Membro da RSSSF, e de sua sua subsidiária RSSSF-Brasil, propriétario do Site www.chancedegol.com.br.

mlarruda@terra.com.br

Parte I

Um dos poucos argumentos apresentados pela imprensa esportiva nos últimos anos para justificar a omissão do título paulista de 1931 da lista de conquistas do São Paulo e a consideração de 1935 como sendo o ano da fundação do Tricolor é que “O "São Paulo da Floresta" e o atual São Paulo são entidades jurídicas distintas”.

Na história do futebol brasileiro (e até mundial), entretanto, há inúmeros casos de times que se fundem com amadores, desfazem a fusão, passam a usar o nome da cidade em convênio com a prefeitura, voltam ao nome anterior, fecham o departamento de futebol e são substituídos por outros clubes com o mesmo nome, licenciam-se e voltam à atividade com outro nome etc. e que, apesar de todas essas mudanças, são sempre tratados pela imprensa esportiva em geral como sendo sempre a mesma equipe:

1) O Botafogo Futebol Club (RJ) foi fundado em 1904 e existiu até 1942, quando fundiu-se com o Clube de Regatas Botafogo e deu lugar ao Botafogo de Futebol e Regatas. Se houve fusão, então são entidades jurídicas diferentes; mesmo assim, todos os jornais, revistas e livros consideram o Botafogo FC e o Botafogo FR como sendo o mesmo e único time e ninguém deixa de computar no histórico do alvinegro os títulos cariocas de 1907, 1910, 1912, 1930, 1932, 1933, 1934 e 1935!

2) O Comerciário Esporte Clube (SC) foi fundado em 1947 e encerrou suas atividades em 1970. Em 1976, antigos sócios do Comerciário resolveram refundar o clube e em 1978 mudaram seu nome para Criciúma Esporte Clube. Se houve um encerramento formal das atividades do primeiro clube, então são entidades jurídicas diferentes; mesmo assim, todos os meios de comunicação consideram o Comerciário e o Criciúma como sendo o mesmo e único time e ninguém deixa de computar o título do Comerciário (estadual de 1968) no histórico do Criciúma!

3) A Associação Desportiva Ferroviária Vale do Rio Doce (ES) foi fundada em 1963 e, com a privatização da Vale do Rio Doce, foi formalmente substituída em 1999 pela Desportiva Capixaba S/A. Se houve substituição formal, então são entidades jurídicas diferentes; mesmo assim, todos os órgãos de imprensa consideram a Desportiva Ferroviária e a Desportiva Capixaba como sendo o mesmo e único time e ninguém deixa de computar no histórico do clube os títulos capixabas de 1964, 1965, 1967, 1972, 1974, 1977, 1979, 1980, 1981, 1984, 1986, 1989, 1992, 1994 e 1996!

4) O Clube Esportivo Operário Varzeagrandense (MT) foi fundado em 1949 e, ameaçado pelas dívidas, licenciou-se da Federação Matogrossense de Futebol em 1994. No mesmo ano de 1994 e na mesma cidade de Várzea Grande, foi fundado o Esporte Clube Operário Para ocupar a vaga deixada pelo CEOV no Campeonato Matogrossense. Em 2002, o CEOV voltou a ocupar sua vaga, desativando o ECO. Se chegaram a coexistir (o CEOV licenciado e o ECO na ativa), então são entidades jurídicas diferentes; mesmo assim, todos os jornais, livros e revistas consideram o CEOV e o ECO como sendo o mesmo e único time e ninguém deixa de computar no histórico do clube os títulos matogrossenses de 1964, 1967, 1968, 1972, 1973, 1983, 1985, 1986 e 1987!

5) O Paulista Futebol Clube (SP) foi fundado em 1909 e, após o futebol do clube passar a ser controlado pela Parmalat, foi formalmente substituído pelo Etti Jundiaí Futebol Limitada em 1999. Em 2002, com a saída da Parmalat, o futebol profissional voltou às mãos do clube e o time voltou a utilizar o nome de Paulista FC. Se houve substituição formal e chegaram a coexistir (o clube do Paulista e o time da Etti), então são entidades jurídicas diferentes; mesmo assim, todos os órgãos de imprensa consideram o Paulista e o Etti Jundiaí como sendo o mesmo e único time e ninguém deixa de computar no histórico do clube os títulos da Série A-II do Campeonato Paulista e da Série C do Campeonato Brasileiro conquistados em 2001!

6) O Grêmio Esportivo Flamengo (RS) foi fundado em 1935 e, após se fundir com o EC Juventude, formou a Associação Caxias de Futebol em 1971. Em 1975, o Juventude desistiu da fusão, voltou a existir isoladamente e a Associação Caxias de Futebol passou a se chamar Sociedade Esportiva Recreativa Caxias do Sul. Se houve fusão, coexistência (Flamengo e Juventude chegaram a jogar um contra o outro) e cisão, então são entidades jurídicas diferentes; mesmo assim, todos os meios de comunicação consideram o Flamengo, a Associação Caxias e a SER Caxias como sendo o mesmo e único time e ninguém deixa de incluir os campeonatos disputados pelo Flamengo e pela Associação Caxias no histórico da SER Caxias do Sul!

7) O Esporte Clube Juventude (RS) foi fundado em 1913 e deixou de existir entre 1971 e 1975 quando esteve incorporado à Associação Caxias de Futebol. Se o clube chegou a formalmente deixar de existir, então são entidades jurídicas diferentes; mesmo assim, todos os meios de comunicação consideram o primeiro Juventude (1913-1971) e o segundo Juventude (1975-2007) como sendo o mesmo e único time e ninguém deixa de computar no histórico do clube os campeonatos disputados de 1913 a 1971!.

8) O Cascavel Esporte Clube (PR) foi fundado em 1979 e em 2001 fundiu-se com o Cascavel S/A e a Sociedade Recreativa Cascavel (Sorec), formando o Cascavel Clube Recreativo. Se houve fusão e coexistência (Cascavel EC, Cascavel S/A e Sorec chegaram a disputar campeonatos simultaneamente), então são entidades jurídicas diferentes; mesmo assim, todos os jornais, revistas e livros consideram o Cascavel EC e o Cascavel CR como sendo o mesmo e único time e ninguém deixa de computar no histórico do clube o título paranaense de 1980!

9) O Santo André Futebol Clube (SP) foi fundado em 1967. Em 1974, o time foi formalmente desativado pela nova prefeitura da cidade, a qual fundou, no mesmo ano, o Esporte Clube Santo André. Se houve a desativação de um clube e a fundação de outro, então são entidades jurídicas diferentes; mesmo assim, todos os órgãos de imprensa consideram o Santo André FC e o EC Santo André como sendo o mesmo e único time e ninguém deixa de considerar no histórico do EC Santo André os campeonatos disputados pelo Santo André FC!

10) A Associazione Calcio Fiorentina foi fundada em 1926 e veio a falir e fechar as portas em 2001. Para ocupar sua vaga, foi fundado em 2002 o Florentia Viola 1926 que, em 2003, passou a utilizar o nome AC Fiorentina. Se houve falência e fechamento de um clube e fundação de outro, então são entidades jurídicas diferentes; mesmo assim, todos os meios de comunicação consideram a primeira Fiorentina (1926-2001) e a segunda Fiorentina (2003-2005) como sendo o mesmo e único time e ninguém deixa de incluir os títulos italianos de 1956 e 1969 no histórico do clube!

11) Em 1891, foi fundado o Central Uruguay Railway Cricket Club (CURCC), que disputou todos os campeonatos uruguaios até 1912. Em 1913, a nova diretoria da ferrovia (Central Uruguay Railway) resolveu desativar o time de futebol e os jogadores e diretores descontentes com a decisão resolveram fundar o Club Atlético Peñarol. Se houve a desativação de um time e a fundação de outro, então são entidades jurídicas diferentes; mesmo assim, todos os órgãos de imprensa consideram o CURCC e o Peñarol como sendo o mesmo e único time e ninguém deixa de incluir os títulos uruguaios de 1900, 1901, 1905, 1907 e 1911 no histórico do clube!

12) Em 1956, foi fundado o Londrina Futebol Clube que, em 1970, estreou no profissionalismo fundindo-se com o Londrina de Futebol e Regatas e com o Paraná Esporte Clube formando o atual Londrina Esporte Clube. Se houve coexistência (Londrina FR e Paraná EC jogaram muitos campeonatos simultaneamente e Londrina FC e Londrina FR chegaram a jogar juntos por um brevíssimo período) e fusão, então são entidades jurídicas diferentes; mesmo assim, todos os órgãos de imprensa consideram o Londrina FR e o Londrina EC como sendo o mesmo e único time e ninguém deixa de computar o título paranaense de 1962 no histórico do clube!

13) O ICASA Esporte Clube foi fundado em 1963 e, atolado em dívidas, fechou as portas em 2000 sendo substituído por um novo clube: o Juazeiro Empreendimentos Esportivos. Em 2002, o Juazeiro também fechou as portas em razão de dívidas e em seu lugar foi aberto um novo clube chamado Associação Desportiva Recreativa Cultural ICASA. Se houve desativação (do ICASA EC), abertura de um novo clube (Juazeiro), nova desativação (Juazeiro) e abertura de outro novo clube (ADRC ICASA), então são entidades jurídicas diferentes; mesmo assim, todos os órgãos de imprensa consideram o EC ICASA e o ADRC ICASA como sendo o mesmo e único time e ninguém deixa de computar o título cearense de 1992 no histórico da ADRC ICASA

14) O Rio Branco Foot Ball Club (SP) foi fundado em 1913 e fundiu-se em 1979 com o Esporte Clube Vasco da Gama formando o atual Rio Branco Esporte Clube. Se houve coexistência (o Rio Branco FBC no amadorismo e o Vasco no profissionalismo) e fusão, então são entidades jurídicas diferentes; mesmo assim, todos os órgãos de imprensa consideram o Rio Branco FBC e o Rio Branco EC como sendo o mesmo e único time e ninguém deixa de considerar os campeonatos disputados e os títulos conquistados (bicampeão do interior paulista em 1922-1923) pelo Rio Branco FBC no histórico do Rio Branco EC!

15) O São Christóvão Athletic Club (RJ) foi fundado em 1909 e existiu até 1943, quando fundiu-se com o Clube de Regatas São Cristóvão e deu lugar ao São Cristóvão de Futebol e Regatas. Se houve fusão, então são entidades jurídicas diferentes; mesmo assim, todos os jornais, revistas e livros consideram o São Christóvão AC e o São Cristóvão FR como sendo o mesmo e único time e ninguém deixa de computar no histórico do alvinegro o título carioca de 1926!

Esses casos, assim como os de Napoli (Ita), Palermo (Ita), Concórdia (SC), Iguaçu/Foz do Iguaçu (PR), Maringá (PR), Cabofriense/Cabo Frio (RJ), Sinop (MT), Porto Alegre/Itaperuna (RJ), Limoeiro (CE), Tiradentes (PI), São José (SP), Ituano (SP), Marília (SP) e muitos outros clubes menos conhecidos, vêm comprovar irrefutavelmente que a praxe da imprensa esportiva sempre foi a de considerar as diversas “encarnações” de um time (e às vezes até times completamente distintos mas que carregam o mesmo nome) como sendo o mesmo e único clube, mesmo que formalmente sejam entidades jurídicas distintas.

Assim, não se trata de "certo" ou "errado", mas de uniformidade de critérios:

a) ou se consideram São Paulo FC do Morumbi e São Paulo FC da Floresta como clubes distintos e nesse caso Botafogo FC e Botafogo FR, Fiorentina "da Floresta" e Fiorentina atual, CURCC e Peñarol, Londrina FR e Londrina FC etc. também devem obrigatoriamente ser considerados como clubes distintos;

b) ou se consideram os dois Botafogos, as duas Fiorentinas, os dois ICASAs, os dois Operários de Várzea Grande etc. como um mesmo e único clube e nesse caso os dois São Paulos também devem obrigatoriamente ser considerados como um mesmo e único clube.

Repito que não se trata de "certo" ou "errado" mas de pura, simples e imparcial coerência de critérios e o que não tem o menor cabimento e é absolutamente inaceitável é que sejam aplicados critérios diferentes: um para o São Paulo e outro para os demais clubes!

Parte II

A Gazeta Esportiva (1959 ou 1960)

Série “Grandes Clubes Brasileiros” - São Paulo (Editora Três, 1971)

Série “Grandes Clubes Brasileiros” - São Paulo (Editora Três, 1971)

Almanaque dos Esportes 1975 (publicado pela Rio Gráfica e Editora)

Placar - Série Especial “As Maiores Torcidas do Brasil” (1984)

Placar - Série Especial “As Maiores Torcidas do Brasil” (1984)

Placar - Série Especial “As Maiores Torcidas do Brasil” (1984)

Placar - Série Especial “As Maiores Torcidas do Brasil” (1984)

Placar - Série Especial “As Maiores Torcidas do Brasil” (1984)

Suplemento “Guia do Torcedor” - Distribuído com a revista Placar nº 867 (12/01/1987)

Folha de São Paulo (31/08/1987)

Folha de São Paulo (31/08/1987)

Placar nº 901 (07/09/1987)

Placar nº 902-A (Edição dos Campeões de 1987) (14/09/1987)

Placar nº 917 (retrospectiva 1987) (31/12/1987)

Placar nº 983 (14/04/1989)

Placar - Série Especial “As Maiores Torcidas do Brasil” (1989)

Placar - Série Especial “As Maiores Torcidas do Brasil” (1989)

Placar nº 1020 (Edição dos Campeões de 1989) (20/12/1989)

Placar nº 1021 (retrospectiva 1989 e dos anos 80) (05/01/1990)


12 comentários:

  1. Infelizmente quando se trata do São Paulo Futebol Clube não há imparcialidade na maioria da imprensa. E esta parcialidade a partir da década de 90 se deve a um homem Telê Santana, que começou a elevar o nome do nosso tricolor para todo o mundo ouvir.

    ResponderExcluir
  2. Alguém já questionou a Placar sobre isso?

    Por que até o final dos anos 80 a revista considerava o título de 31 e depois passou a desconsiderar?

    ResponderExcluir
  3. Provavelmente justificariam com uma mudança de chefia, como quando saiu o Juca Kfouri e entrou o Marcelo Duarte, e depois o Sergio Xavier, etc...

    É algo como dar um tiro no próprio pé.

    Outra coisa, nao ter o mesmo registro de inscrição na federação (um dos argumentos que dizem para justificar serem clubes diferentes) não vale nada. Pois um clube, que nunca deixou de ser o mesmo, pode muito bem ter dois registros na federação. Basta se desfiliar e filiar-se novamente.

    Ou seja, não é isso que diz que um clube é o mesmo ou não.

    ResponderExcluir
  4. Esse texto é excelente. Já o conhecia, mas foi muito bom você tê-lo postado aqui também.

    O São Paulo é mesmo de 1930.

    Só não entendo pq o clube lançou algumas camisas escritas "Desde 1935"...

    ResponderExcluir
  5. Esse tema é tabu até mesmo dentro do São Paulo. No entanto, todos os argumentos contrários deveriam ser calados por um simples fato: a taça de 1931 está no memorial do tricolor.

    ResponderExcluir
  6. Existe a taça de 1931 e muitas referências a 1930 no memorial, como quadros e diplomas. É um argumento irrefutável sobre a origem do clube. Engraçado é que a imprensa só aderiu ao "dura lex, sed lex" quando as conquistas tricolores eram tantas que não havia clima para discordar.

    Alguns clubes passaram a reivindicar títulos. Palmeiras e Fluminense tentam oficializar a Copa Rio depois de meio século e Flamengo lembra da Taça das Bolinhas depois de 16 anos de sua conquista de 1992. Não é o caso do SPFC que, pelos vários documentos históricos apresentados aqui, já era o legítimo detentor do título de 31!

    A rigor, poderíamos reivindicar os três títulos da Atlética que desapareceu para originar o SPFC e a "história" seria: SPFC fundado em 1902 com o nome AAP que foi alterado para o atual em 1930. Por que não? Já as taças do Paulistano são dele mesmo porque esse clube não deixou de existir em 30.

    A propósito: Onde estão essas três taças paulistas da Atlética? De 1908, 09 e 15, se não me engano.

    Claro que isso foi uma ironia. Não há nova "história", já que a data magna do clube é 25 de janeiro (de 1930).

    ResponderExcluir
  7. hum, nao é nada certo e tal, mas creio que as taças da AA Palmeiras possam estar no CR Tietê.

    ah e a data magna, pelos termos ditos no spfc atualmente, eh pela data do primeiro jogo do SPFC em 36.

    ResponderExcluir
  8. Foi-me assegurado por seu professor orientador e supervisor de tese de mestrado que o citado Sr. Marcelo Arruda é fanático sãopaulino.
    Ele escreveu o seguinte e os Srs. reproduzem :

    ------------------------------------------

    1) OBotafogo Futebol Club (RJ) foi fundado em 1904 e existiu até 1942, quando fundiu-se com o Clube de Regatas Botafogo e deu lugar ao Botafogo de Futebol e Regatas. Se houve fusão, então são entidades jurídicas diferentes; mesmo assim, todos os jornais, revistas e livros consideram o Botafogo FC e o Botafogo FR como sendo o mesmo e único time e ninguém deixa de computar no histórico do alvinegro os títulos cariocas de 1907, 1910, 1912, 1930, 1932, 1933, 1934 e 1935!

    -------------------------------------


    Ocorre que o Club de Regatas Botafogo jamais disputou uma partida de futebol.

    O Sr. Marcelo Arruda não entende nada de Botafogo. Tampouco de futebol.
    Entende (e muito, segundo seu professor orientador) de modelos lineares gerais, de modelos lineares generalizados, de inferência estatística clássica, de simulação,
    métodos estocásticos para integração numérica.
    O que , infelizmente, não torna a aplicação deste rico e sofisticado arsenal de métodos estatísticos válida quando as premissas são, no mínimo, discutíveis. Por exemplo, quando o campo morumbi é considerado, nas equações, neutro para clássicos paulistanos.


    Paulo Azeredo
    pauloazeredo@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  9. Em tempo, clássicos paulistanos envolvendo o tricolor do morumbi.

    Paulo Azeredo
    pauloazeredo@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  10. Te juro, eu tentei entender
    tentei hehe

    Preciso contar isso pro Marcelo hehehe.

    ResponderExcluir
  11. Já garfaram nosso título:

    "Em toda sua história, o São Paulo Futebol Clube foi campeão paulista 20 vezes (1943, 1945, 1946, 1948, 1949, 1953, 1957, 1970, 1971, 1975, 1980, 1981, 1985, 1987, 1989, 1991, 1992, 1998, 2000, 2005), supercampeão estadual uma vez (2002)..."

    Fonte: Site da FPF
    http://www.futebolpaulista.com.br/clubes/S%C3%A3o+Paulo+Futebol+Clube/Hist%C3%B3ria

    ResponderExcluir
  12. No infobola:

    www.infobola.com.br/clubes/spa/ficha.shtml

    ResponderExcluir

Grandes Taças