SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE

CNPJ/MF nº 60.517.984/0001-04
Fundação:
25/27 de janeiro de 1930 (16 de dezembro de 1935).
Apelidos: O Mais Querido, Clube da Fé, SPFC, Tricolor Paulista.

Esquadrão de Aço (30-34), Tigres da Floresta (30-35), Rolo Compressor (38-39, 43-49), Tricolor do Canindé (44-56), Rei da Brasilidade (50-60), Tricolor do Morumbi (60-), Máquina Tricolor (80/81), Tricolaço (80/81), Menudos do Morumbi (85-89), Máquina Mortífera (92/93), Expressinho Tricolor (94), Time de Guerreiros (2005), Soberano (2008), Jason (08-09), 633 Squadron (2009).

Mascote: São Paulo, o santo.

Lema: Pro São Paulo FC Fiant Eximia (Em prol do São Paulo FC façam o melhor).

Endereço: Pr. Roberto Gomes Pedrosa, 1. Morumbi; São Paulo - SP.
CEP: 05653-070.
Site Oficial: www.saopaulofc.net ou www.spfc.com.br

E-mail: site@saopaulofc.net
Departamento Amador: esportesamadores@saopaulofc.net

Telefone: (55-0xx11) 3749-8000. Fax: 3742-7272.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Inauguração definitiva do Morumbi

Em 1960, o Estádio Cícero Pompeu de Toledo fora inaugurado. Parcialmente construído, mas inaugurado - a fim de que, com ele, fosse possível aumentar as receitas para a conclusão do próprio. Sua estréia definitiva, com sua construção terminada, se deu em 1970, mais especificamente em 25 de janeiro de 1970 - aniversário da cidade de São Paulo. O adversário escolhido novamente foi uma equipe lusitana, o FC Porto.

O público ainda chegando para o início do jogo...
(Foto de Edison Junior)

Deixo aqui, transcrito, trechos e relatos do jogo por Conrado Giacomini, em texto publicado na Estação Tricolor:
A poucos dias do dia do jogo de inauguração, um acontecimento um tanto inusitado agitou os bastidores do clube: as peças de madeira, resultantes dos escombros que sobraram do processo de finalização da arena, ainda não haviam sido recolhidas de dentro do campo, e a firma contratada para fazer esse trabalho estipulou um prazo de 40 dias para executá-lo. Como o grande evento seria realizado antes desse espaço de tempo, um dirigente tricolor, amigo do general comandante da 2a. Região Militar, solicitou a ajuda do exército. Ao saber que os militares necessitavam de lenhas usadas, apresentou a seguinte proposta ao general: o clube cederia a madeira e, em troca, o exército teria que removê-la do Morumbi em um único dia. Acordo fechado, do dia pra noite, todas as fôrmas de madeira foram recolhidas do estádio.

Passados mais alguns dias, outro fato curioso ocorreu antes do jogo de reinauguração: a esta altura, janeiro de 1970, a FIFA já havia instituído que as balizas deveriam ser redondas, produzidas com madeira de ipê ou perobinha, em substituição às traves de quinas então utilizadas. O São Paulo já providenciara este tipo de material para o Morumbi. Entretanto, para o jogo que marcaria o grande acontecimento, o clube resolveu instalar traves novas. A fábrica incumbida de realizar a confecção, toda vez que era cobrada pelos dirigentes, adiava a entrega das balizas. Até que, às vésperas do evento, informou ao clube que não tinha como fabricá-las por que não estava achando peças de caibro de 7 metros no mercado; as mais extensas possuíam 4,5 metros de medida. Conclusão: o estádio foi reinaugurado com as traves antigas. Sorte que ninguém percebeu.

A partida teve a presença de várias autoridades, como o presidente da República, general Emílio Garrastazu Médici, o governador paulista, Roberto Costa de Abreu Sodré, e o prefeito de São Paulo, Paulo Salim Maluf. Era o auge da ditadura militar. A presença mais ilustre, contudo, não foi de nenhum político, mas do dramaturgo Nelson Rodrigues. Uma das raríssimas vezes que o anjo pornográfico saiu do Rio de Janeiro para assistir um jogo de futebol, pois morria de medo de avião. Será que o tricolor que ele se cansou de cantar em verso e prosa não era o São Paulo?

Sem se importar com o espírito da festa, o São Paulo começou a peleja disposto a vencer. Logo aos 5 minutos, Paraná inicia uma grande ação pela esquerda, sai na cara do goleiro Vaz, mas o arqueiro vai ao encontro do nosso ponta-esquerda e consegue evitar o tento que parecia certo. Aos 15, Jurandir afasta a bola da zaga, ela sobra pra Zé Roberto, que em magnífica jogada estende a Toninho, que inicia arrancada entre os zagueiros, penetra na área, e quando ajeitava a bola para a conclusão, é derrubado. Pênalti. Na cobrança, Zé Roberto pega muito embaixo da bola e ela sai por cima do travessão. Na única jogada perigosa produzida pelo ataque do time português no primeiro tempo, aos 32, após centro da esquerda que Dias aliviou de cabeça, a bola sobrou para Vieira Nunes, que num belo sem-pulo desferido da entrada da área, abre o marcador, 0 a 1. O troco veio rápido. Três minutos depois, Zé Roberto apanha a bola na sua intermediária, abre caminho entre os adversários, e passa a Waltemiro Fernandes Pessoa, o Miruca, que fuzila entre as pernas do goleiro, 1 a 1, o placar final da contenda.

Com a conclusão do Morumbi, o São Paulo retomou sua saga vencedora. Desde então, foi o clube paulista que mais conquistou títulos oficiais, contando campeonatos estaduais, nacionais e continentais. Além disso, a conclusão do estádio mostrou que os dirigentes estavam certos em apostar na obra mesmo em um bairro longínquo. Se na década de 50 o local era inóspito, hoje o Morumbi é a área mais valorizada da capital. Enfim, valeu a pena.
Bandeirão oficial do São Paulo sendo carregado ao centro do campo
(Foto de Edison Junior)

25 de janeiro de 1970. Amistoso Internacional
São Paulo (SP) Estádio Cícero Pompeu de Toledo - Morumbi
São Paulo Futebol Clube (BRA) 1 x 1 Futebol Clube do Porto (POR)

São Paulo: Picasso; Édson, Jurandir, Roberto Dias e Tenente; Lourival e Gérson; Miruca (José Roberto), Toninho, Téia (Babá) e Paraná (Claudinho). Técnico: Zezé Moreira.

Porto: Vaz; Acácio, Valdemar, Vieira Nunes e Sucena; Pavão e Rolando; Gomes, Chico (Seninho), Pinto (Ronaldo) e Nóbrega.

Gols: Vieira Nunes aos 32 minutos e Miruca aos 35 minutos do primeiro tempo
Árbitro: José Favilli Neto
Renda: NCr$ 272.965,00
Público: 59.924 pagantes (107.869 presentes)

13 comentários:

  1. Conhecia parte dessa história, mas tem muita coisa nova pra mim, como essa foto do Edison.

    Médici era um canalha, um assassino. Não deveria ter sido convidado.

    ResponderExcluir
  2. Medici e Maluf juntos... a barra era pesada na época.

    Mas, ficam aqui palavras do Natel sobre:

    SPNet - No livro do ex-presidente Bastos Neto, ele conta que o Presidente Médici estava receoso de entrar no gramado e ser vaiado devido ao momento turbulento na política brasileira, mas o Sr. o encorajou dizendo que havia “dedicado uma vida para a construção desse estádio e esperava naquele 25 de janeiro esse reconhecimento”. O que aconteceu após a entrada do Sr. e do Presidente Médici em campo?

    Laudo – Era a primeira visita do Médici a São Paulo. E convidei primeiro o Costa e Silva, mas ele ficou doente e não pôde vir, até depois veio a falecer. Eu fiquei em dúvida em convidar o Médici, pois já havia convidado o Costa e Silva. Mas o convite é estendido ao Presidente da República, por isso o convidei.

    O Médici gostava de futebol, aliás ele era são-paulino aqui, acabou vindo. Mas, no dia da inauguração, com o campo lotado, a segurança do Presidente achou que ele não deveria entrar, talvez com receio de ser vaiado. Eu disse a ele: “Presidente, o senhor vai entrar comigo, pois se existe alguém que não pode ser vaiado hoje, esse alguém sou eu. Então, o senhor entra comigo”.

    Aí, ele aceitou e entrou. Na hora que ele entrou, foi uma ovação do público, deixando-o arrepiado. Tanto é que ele, que já gostava de vir a São Paulo, ficou freguês de vir pra cá. No período em que eu fui governador, ele veio umas vinte e tantas vezes. Mas, a entrada dele foi na inauguração do Morumbi.
    ___
    Cabe a cada um julgar hehe

    ResponderExcluir
  3. Julgo como uma atitude demente e bajuladora esse convite aos presidentes [golpistas] militares. E pior foi ver essas palavras de incentivo... "entra comigo que não vão te vaiar"...

    A história julgou muito bem as atitudes de tais governos e o Golpe de 1964: condenou-os. Devem tanto que até hoje tem medo de abrir os arquivos da Ditadura e revelar parte do que fizeram.

    E não tem essa de "convidar por ser Presidente". O clube não é obrigado a isso. E o Presidente em questão era um ditador, um torturador, um assassino. O São Paulo apóia isso? Se não, por qual razão o convite?

    Das duas uma: ou fica uma mancha na história do Sao Paulo; ou o São Paulo se assume como um inimigo da democracia.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  5. Fernando, já que é tão interessado na história do SPFC, acompanhe mais o site, veja outros artigos.

    A maioria se encontra aqui: História

    Pois tudo isso já foi desmentido. São raras até mesmo as meias verdades que se encontram nesse texto calunioso de origem carcamana/palestrina (que aliás, não possui fonte fidedigna alguma, um amontuado de palavras sem valor algum).

    E não preciso aqui dar mais espaço a essas mentiras.

    ResponderExcluir
  6. A imprensa galinácea é risível. Enchem a boca para falar em 'democracia' corintiana. Mas o clube mais democrático do Brasil é o SPFC. No Tricolor há alternância de poder, não existem presidentes eternos. Os galináceos tiveram vários presidentes-imperadores, que reinaram por décadas.
    E por falar em democracia, os suínos róseos apoiaram a Alemanha-Nazista e a Itália-Fascista na II Guerra Mundial. Têm que erguer as mãos aos céus por não existir no Brasil os campos de concentração que eles tanto admiravam na Europa.
    Democracia é com o Tricolor!!

    ResponderExcluir
  7. Ao tonto do juninho, o presidetente das galinhas era o deputado estadual da ARENA Wadhi Helu, que mandou assassinar nos porões do DOI-CODI WLADIMIR HERZOG diretor de jornalismo da TV Cultura em 10/1975 como consta nos autos, o presidente da FPF era o jeca botinudo deputado estadual da ARENA João Mendonça Falcão, curintianus roxo, é engraçado esses caras do curintia roxo, conselheiro do clube das galinhas, quem nunca foi a favor da democracia é esta merda chamada curintia, diversas personagens de expressão nacional e internacional já estiveram no MORUMBI, como o Papa João Paulo II, até mesmo o rei dos mensaleiros em 23/06/2009, o Lulla da Silva, presidente, porque? devido à importância monumental do SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE, a despeito das galináceas, nesta data o prefeito nomeado era Paulo Maluf, o governador Dr. Roberto Costa de Abreu Sodré, e o presidente da república convidado foi o Marechal Arthur da Costa e Silva, o qual teve uma trombose em 30/08/1969 e foi hospitalizado em um hospital de base militar no Rio de Janeiro, e os militares não deixaram o jurista Pedro Aleixo, deputado federal da ARENA por MG assumir a presidência, logo ele que fora um dos principais mentores do golpe de 64 e fundador da UDN, e por dois meses o governo central foi governado pelos ministros militares, General Aurélio Lyra do exército, Brigaderio Márcio Mello da aeronáutica e o Almirante Augusto Radamaker, e em 30/10/1969 assume a presidência o General Emílio Garrastazu Médici, o convite foi extensivo às autoridades da época, inclusive ao assassino, e outras coisas mais presidente do curintia roxo Wadhi Helu, deputado estadual da ARENA, sei que você juninho não passa de um babaca, como todos que não conhecem HISTÓRIA, e mais, o presidente do Santos era o deputado federal por SP da ARENA Athiê Jorge Cury, e tem sim que se convidar as autoridades, independentemente do que são, assim como o seu Lulla agora em Cuba cometendo uma enorme aberração contra os direitos humanos ao apoiar o governo ditatorial e assassino dos irmãos Castro, e o Lulla, deve ser um molusco, disse quem fazia greve de fome era um incosequente, o incosequente era um preso político, e que ´morreu, agora em 03/2010, e o bosta, cadê a democracia? deste curintianus? faça juízo de valor de todos os curintianus, e da mãe deles, babaca.

    ResponderExcluir
  8. Acho que não precisa ofender o Mario Jr, Adauto.

    ResponderExcluir
  9. E no nosso Brasil, tivemos campos de concentração sim.

    ResponderExcluir
  10. Esse pessoal que fala mal do Presidente Médici não conhece a história ou simplesmente quer ignorar fatos positivos em seu governo. Foi durante o governo dele que houve o Milagre Econômico, programas educacionais, inauguração de vários conjuntos habtacionais, construção de hidreeletricas, implantação de um dos sistemas de trasnporte mais moderno da época que é o metrô, melhorias no sistema de energia, etc... E ao contrario que a mídia esquerdista fala, ele foi querido pelo povo, em todo lugar que ele visitava ele recebia abraços das pessoas, conversava com jovens e crianças. Colocar pessoas como José Dirceu, Genuino e outros como vitimas coitadas do regime é mostrar que é burro pois eles nunca foram a favor do povo, mas sim pessoas anarquistas que estavam nem ai para o povo. Presidente Medici morreu sem enriquecer, mas deixou muitas coisas positivas. Eu diria que se não fosse essas obras e projetos que vieram na administração dele, hoje o Brasil estaria em apuros. Sò imagina SP sem metrô e sem energia. Pense nisso antes de vomitar asneiras como se vcs fossem dono da razão. E voltando ao assunto que bom que o Presidente Medici esteve na inauguração do Morumbi que é a casa do nosso querido SPFC. Um fato histórico com a visita de um grande presidente.

    ResponderExcluir

Grandes Taças