SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE

CNPJ/MF nº 60.517.984/0001-04
Fundação:
25/27 de janeiro de 1930 (16 de dezembro de 1935).
Apelidos: O Mais Querido, Clube da Fé, SPFC, Tricolor Paulista.

Esquadrão de Aço (30-34), Tigres da Floresta (30-35), Rolo Compressor (38-39, 43-49), Tricolor do Canindé (44-56), Rei da Brasilidade (50-60), Tricolor do Morumbi (60-), Máquina Tricolor (80/81), Tricolaço (80/81), Menudos do Morumbi (85-89), Máquina Mortífera (92/93), Expressinho Tricolor (94), Time de Guerreiros (2005), Soberano (2008), Jason (08-09), 633 Squadron (2009).

Mascote: São Paulo, o santo.

Lema: Pro São Paulo FC Fiant Eximia (Em prol do São Paulo FC façam o melhor).

Endereço: Pr. Roberto Gomes Pedrosa, 1. Morumbi; São Paulo - SP.
CEP: 05653-070.
Site Oficial: www.saopaulofc.net ou www.spfc.com.br

E-mail: site@saopaulofc.net
Departamento Amador: esportesamadores@saopaulofc.net

Telefone: (55-0xx11) 3749-8000. Fax: 3742-7272.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Espaço Unyco

Novo projeto empresarial para o Morumbi é inaugurado. Renderá em investimentos ao São Paulo R$10 milhões em contrato de três anos.

Resultado da ação em conjunto do clube com o empresário Marcelo Neves, filho de Gilmar dos Santos Neves, e responsável pela gestão do Espaço Unyco; da Applebee's, rede de restaurantes; e da ABIH - Associação Brasileira da Indústria de Hotéis.

Ainda contará com o apoio (não-financeiro) da Secretaria de Turismo, Esporte e Lazer do Estado de São Paulo, em ações voltadas para a Copa do Mundo 2014.


Espaço Únyco é inaugurado no Morumbi
Novo camarote começou a funcionar nesta quinta-feira

Do site oficial

Em um espaço de 1000m² começou a funcionar nesta quinta-feira o Espaço Únyco, o mais novo camarote do estádio do Morumbi. No local, aproximadamente 800 convidados poderão acompanhar às partidas do Tricolor, além de terem a oportunidade de realizar a chamada comercialização corporativa, ou seja, encontrar-se com outras pessoas que atuam no mesmo ramo profissional.

Apesar de estar localizado no estádio o Espaço Únyco não funcionará exclusivamente em dias de jogos. O camarote será disponibilizado para os dias sem jogos e poderá ser utilizado pelo São Paulo Futebol Clube para a realização de seus eventos.

"Primeiramente gostaríamos de agradecer em nome do Únyco ao SPFC e em especial a esta Diretoria que sempre acreditou neste sonho a ser realizado no Estádio do Morumbi. Tenho certeza que este projeto de alto padrão nos coloca entre os empreendimentos mais importantes do mundo do futebol. Um dos nossos objetivos é transformar o espaço como referência para o mercado corporativo realizar diferenciadas ações de relacionamento", afirmou Marcelo Neves, idealizador do projeto.

No evento de lançamento do camarote, que envolveu várias personalidades do mundo corporativo, o vice-presidente de comunicação e marketing do São Paulo, Julio Casares, foi o recepcionista. A estrutura surpreendeu o secretário de turismo da cidade de São Paulo, Clauri.

"São Paulo está saindo na frente. Já estamos preparando este estádio para a Copa, temos oportunidade de atrair os turistas para cá e a partir do futebol paulista mostrar aos visitantes também os outros eventos da cidade", afirmou Claury Alves da Silva, secretário do Turismo do Estado de São Paulo.


Foto: Lancenet

Tricolor inaugura mais um espaço VIP no Morumbi
Espaço UnYco foi criado por filho do ex goleiro da seleção brasileira

Por Julyane Stanzioni para o Fanáticos por Futebol.

O São Paulo não pára com suas inovações de marketing. Na última segunda-feira, o presidente Juvenal Juvêncio mostrou oficialmente à imprensa os novos patrocínios do clube para a temporada de 2009. Um destes patrocinadores, uma rede de restaurantes, inaugurou nesta noite, antes da partida do jogo do Tricolor com a Ponte Preta o espaço Unyco.

O espaço é destinado à empresas e torcedores que queiram assistir ao jogo de um local privilegiado, além de desfrutar de boa comida e bebida (não alcoolica). O local, ainda no último espaço de construção, fica no andar térreo do Morumbi (antiga arquibancada amarela). O UnYco terá espaços privilegiados como camarotes, lounge e cadeiras. A capacidade total é para mil pessoas.

UnYco é o mais novo espaço VIP do estádio que já tem um Bar temático, além de uma livraria também no local onde ficava o setor amarelo no Morumbi. "Nós vamos oferecer a possibilidade de realização de jantares ou encontros comerciais com visão para o campo. Além disso, o espaço Unyco funcionará para reunir torcedores que quiserem acompanhar jogos do São Paulo fora do Morumbi", afirmou Adalberto Baptista.


Foto: Lancenet


ABIH-SP inaugura espaço vip no estádio do Morumbi (SP)


Acontece neste momento a inauguração do espaço Unyco, no estádio do São Paulo Futebol Clube (SPFC), no bairro do Morumbi.

Propriedade da empresa Sport Service, a área, que oferece três ambientes em 1 mil m² e comporta 850 pessoas, terá 300 ingressos comercializados pelos meios de hospedagem de São Paulo, associados ou não à Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-SP).

"A idéia deste espaço surgiu há cerca de cinco anos. Todos os grandes clubes do mundo têm um serviço de receptivo de turistas, que não necessariamente vão ao estádio para prestigiar um jogo. Começamos a pesquisar como podíamos criar uma área para isso em São Paulo. O interesse aumentou ainda mais por causa da Copa de 2014. Serão 300 ingressos distribuídos pela ABIH aos hotéis do estado, e eles podem utilizá-los da maneira que preferirem", explicou Mauricio Bernadino, presidente da associação.

Os ingressos serão válidos tanto para jogos quanto para shows e outros eventos no estádio. "Esta é mais uma ação do projeto Nosso Turismo Paulista, da secretaria estadual de turismo", explica Bernadino.

"Temos um contrato de três anos sobre este espaço, renovável por mais três. No primeiro momento foram investidos cerca de R$ 1 milhão, mas serão R$ 10 milhões ao todo. Enviamos 4 mil propostas para agências de publicidade que possivelmente tenham interesse em investir aqui", disse Marcelo Neves, proprietário do local. "Ainda não existe um espaço como este em nenhum estádio brasileiro. Além disso, os campeões mundiais do futebol têm entrada garantida e gratuita no Unyco", anuncia o executivo, que é filho do goleiro bi-campeão mundial Gilmar dos Santos Neves (1958 e 1962). "É uma maneira de homenagear os atletas", completa.

O evento começou pouco antes do jogo entre São Paulo e Ponte Preta, que exatamente às 23h05 marcava dois a zero para o São Paulo. A ABIH-SP em breve vai anunciar como serão distribuídos os ingressos.



Entrevista: Marcelo Izar Neves

Com formação em em economia e administração, Marcelo Izar Neves trabalha com marketing esportivo desde 2000 e idealizou espaço Unyco.

Por Guilherme Costa para Máquina do Esporte

O Morumbi já se prepara para a Copa do Mundo de 2014, que será no Brasil. A despeito de a Fifa ainda não ter confirmado sequer as cidades que receberão jogos do torneio, o estádio do São Paulo, incluído na candidatura paulistana ao evento, iniciou algumas obras para adaptar sua estrutura às exigências da entidade que gerencia o futebol mundial. Uma das iniciativas com essa perspectiva é o lançamento do espaço Unyco.

Construído no andar térreo do Morumbi, o camarote corporativo começou a funcionar na última quinta-feira, na vitória do São Paulo por 2 a 1 sobre a Ponte Preta. Trata-se de um espaço dividido em três ambientes, com um lounge, tribunas e cadeiras, idealizado para que empresas utilizem o estádio como cenário para reuniões ou encontros de negócios.

O projeto foi idealizado por Marcelo Izar Neves, filho do ex-goleiro Gylmar dos Santos Neves. Dono de uma agência de marketing esportivo, o empresário baseou-se no conceito de arenas dos Estados Unidos para criar um serviço VIP para empresas no Morumbi.

"O que mais chama atenção lá é que o dia do evento recebe tratamento de grande atração. Tenho um irmão que mora na Pensilvânia e chega ao estádio às 11h quando vai a um jogo às 17h. Ele faz isso porque valoriza o conforto, a comida, os brindes e as ações de fidelização que acontecem lá. O espaço Unyco tem muito a ver com isso", comparou Izar Neves em entrevista exclusiva à Máquina do Esporte.

O projeto do espaço Unyco prevê investimento de R$ 10 milhões em três anos. As cadeiras e tribunas foram construídas de acordo com especificações passadas pela Fifa, em modelo que deve ser seguido no restante do estádio. O camarote corporativo ainda apresenta como diferenciais os serviços de limpeza, segurança, climatização e catering, todos realizados em sistema de parcerias com outras empresas.

Antes mesmo de o espaço ser inaugurado, Izar Neves contabilizava 22 empresas dispostas a comprar vagas no camarote. A receptividade o animou até a buscar expansão. Apesar de não vislumbrar a criação de filiais em outros estádios, o empresário fará ação similar na Fórmula 1 e em torneios de tênis e pólo.


Leia a entrevista na íntegra a seguir:

Máquina do Esporte - O espaço Unyco é um camarote corporativo para marketing de relacionamento, com serviço para fomentar a ida de torcedores com esse perfil ao estádio. Como surgiu esse conceito?
Marcelo Izar Neves - Tenho uma empresa de marketing esportivo há quase dez anos, mas sempre acompanhei futebol e sempre tive grande preocupação com a estrutura dos estádios. Procurei reparar no que é feito fora do Brasil, e os Estados Unidos são quem chama mais atenção nesse aspecto. O que mais chama atenção lá é que o dia do evento recebe tratamento de grande atração. Tenho um irmão que mora na Pensilvânia e chega ao estádio às 11h quando vai a um jogo às 17h. Ele faz isso porque valoriza o conforto, a comida, os brindes e as ações de fidelização que acontecem lá. O espaço Unyco tem muito a ver com isso.

ME - Quais são os diferenciais que o espaço Unyco apresenta para concorrer com outros camarotes?
MIN - Nós temos um projeto diferente. Pegamos um espaço de mil metros quadrados, que tinha uma lotação média de 20%. Apostamos em uma arquitetura inédita, com três ambientes: cadeiras projetadas de acordo com os padrões Fifa, uma tribuna e um lounge mais descontraído, onde as pessoas podem conversar com mais tranquilidade. Além disso, temos um serviço de catering completo, com comida da Applebee's e bebidas da Ambev. Montamos um ambiente climatizado, com 26 TVs de plasma de 50 polegadas, em um espaço coberto. Há equipes exclusivas de limpeza e segurança, além de banheiros privativos.

ME - A reforma estrutural obrigou vocês a diminuírem a capacidade de público do espaço?
MIN - Tivemos uma queda para 800 lugares por conta do lounge. Mas contratamos um topógrafo para avaliar a visibilidade do espaço, para que não tivesse nenhum ponto cego. Ele indicou que o espaço tem um nível de 98% de visibilidade. Levantamos o piso em 1,60m para melhorar a visão do campo. Os fiscais da Fifa passaram pelo estádio, aprovaram a obra e esse padrão pode até ser seguido em mais lugares.

ME - Os serviços do espaço Unyco são baseados em parcerias com empresas. Vocês montaram essa estrutura e depois ofereceram ao São Paulo ou conseguiram a chancela do clube e depois procuraram marcas para investir no local?
MIN - Nós negociamos primeiro com o São Paulo. Conversamos por um ano e meio até convencer o clube sobre o modelo de atuação no estádio. A diretoria aprovou um contrato de três anos, renovável por mais três. Em paralelo, uma equipe comercial começou a procurar parceiros e interessados desde outubro do ano passado. Hoje, além de uma parceria com a ABIH, temos 22 empresas que já manifestaram interesse de compra.

São dois tipos de parcerias: precisamos fechar com empresas que investiriam no local e procurar outras que comprariam espaço para seus clientes. Precisávamos disso para ter comida, bebida, ar condicionado, segurança, limpeza e eletrodomésticos.

ME - Qual é a importância dessa parceria com a ABIH?
MIN - São 300 donos de hotéis, cada um com seus serviços. Eles ofereciam pacotes de visitas ao Playcenter, à peça Miss Saigon, mas não ao Morumbi. O Rio de Janeiro tem o Maracanã como ponto turístico, mas isso não acontecia aqui. Hoje, 40% do nosso espaço deve ser preenchido apenas com hotéis. Temos 450 hotéis em São Paulo. Se cada um comprar dez ingressos, teremos um aproveitamento de quase toda a arquibancada inferior. Isso sem falar que o turista que vem a São Paulo gasta, mas o entretenimento é subaproveitado. Estamos falando apenas de hotéis de São Paulo, mas podemos ter um anel inteiro no Morumbi para uso do turismo.

ME - Quando falou sobre o projeto do espaço Unyco, o São Paulo ressaltou a utilização do espaço fora dos dias de jogo. De que forma vocês pretendem viabilizar isso?
MIN - Nos dias de jogo, o espaço é inteiramente meu. Nas outras datas, existe uma sociedade entre o São Paulo e a minha empresa para a utilização. O que acontece hoje em dia é que as pessoas procuram muito o São Paulo para fazer eventos no Morumbi, mas não tinham um local adequado no estádio. Agora o clube vai repassar e nós faremos.

ME - Vocês fecharam uma parceria para cessão de telas de plasma com a Panasonic, concorrente da LG, empresa que patrocina o São Paulo. Não existe um conflito de interesses nisso?
MIN - Na verdade, o espaço é completamente independente do São Paulo. Não preciso propagar o nome da empresa que se associou a nós, mas procuramos uma série de parceiros em cada segmento e a Panasonic foi a primeira que quis entrar com as telas de plasma. O São Paulo nunca nos obrigou a seguir as marcas dele.

ME - O espaço Unyco prevê um investimento de R$ 10 milhões em três anos para construção da estrutura e estabelecimento do produto, mas não tem participação garantida no Morumbi se o estádio realmente sediar jogos da Copa do Mundo de 2014. Qual é o risco de vocês ou seus parceiros serem alijados do evento?
MIN - Nós temos contrato por três anos, com possível renovação por mais três. Se isso acontecer, já estaremos no período da Copa do Mundo. Durante a Copa, o estádio passa a ser da Fifa. O projeto do São Paulo já prevê que o anel inferior será corporativo, e eles vão pedir para a Fifa que dê prioridade às empresas que já investem no local. Mas a decisão final é deles.

ME - O lançamento acontece com o produto fechado ou vocês ainda projetam alterações na estrutura de acordo com a receptividade? Qual é a previsão de faturamento?
MIN - Nós estamos lançando o Unyco como projeto, até porque não existe um histórico no país sobre camarotes com esse perfil. Vamos acompanhar e sentir a reação do público para depois fazer os ajustes necessários, mas o modelo é esse. Quanto ao faturamento, esperamos ter um total de R$ 4 milhões por ano. Também acreditamos que essa conta de R$ 10 milhões vai cair. Fizemos uma estimativa de gastos com aluguel, obra e custo operacional, mas acreditamos que seja possível diminuir isso com a experiência. Queremos fechar o contrato com um lucro de cerca de R$ 4 milhões.

ME - A Copa de 2014, que será no Brasil, promoverá um crescimento no investimento em estrutura de estádios. Vocês pretendem utilizar isso para disseminar o conceito do espaço Unyco em outras praças?
MIN - Inicialmente, até pelo nome, não temos esse projeto. Queremos algo que seja realmente Unyco, diferente. Teremos um espaço muito parecido na Fórmula 1 neste ano, além de competições de tênis e pólo. Pensamos em algo exclusivo por modalidade.

ME - Quais ações de marketing vocês pretendem fazer para atingir o público necessário para o funcionamento do Unyco?
MIN - Nós queremos difundir a ideia de algo próximo da realidade da Europa. Lá, só vai ao campo quem tem condições. Quem não tem vê os jogos no pay-per-view, ao contrário do que acontece aqui. O Ajax monitora os filhos das pessoas que frequentam o estádio. Quando esses garotos completam 18 anos, ganham um carteirinha de acesso por seis meses para desfrutar da arena e criar um hábito de ir àquele espaço. Eles recebem uma série de coisas, como sorteio de brindes e viagens. Nós pretendemos fazer algo nessa linha. Vamos criar promoções para entrada em campo, sortear a bola de alguns jogos, levar um campeão antigo para falar com o público no Unyco. Temos algumas ideias para fortalecer esse conceito.

ME - Qual vai ser o preço para ingressos do espaço?
MIN - Teremos um ticket médio de R$ 200, com mínimo de venda de dez ingressos. As pessoas ficam um pouco assustadas quando veem um valor desses para um jogo de futebol, mas tem um serviço completo e isso valoriza o produto. O que não vale é as pessoas pagarem R$ 300 para ver Miss Saigon. Nós valorizamos a permanência. As pessoas me perguntam a que hora devem chegar no espaço, com medo do que vai acontecer. Eu digo que tudo estará funcionando desde a abertura dos portões. Imaginamos que as pessoas passarão uma média de cinco horas por lá.

2 comentários:

  1. É um espaço bonitão, hein?

    Ver um jogo aí deve ser bom demais...

    ResponderExcluir
  2. Bom, e caro :P

    Só achei uma coisa estranha: - Que ''cadeirinhas'', hein?...

    ResponderExcluir

Grandes Taças